Das 95 vítimas, 4 eram crianças. 2 delas morreram 

Por Mayara Mangifeste

Em 2019, o Fogo Cruzado mapeou 68 tiroteios/disparos de arma de fogo dentro de residências na Região Metropolitana do Rio, 79% a mais que em 2018, quando houve 38 casos.

Seja no quintal, no terraço ou até dentro de casa, 95 pessoas foram baleadas enquanto estavam em lugares onde achavam estar a salvo. Do total de pessoas baleadas (95), 74 morreram. 24 delas foram vítimas de balas perdidas e 5 delas não resistiram aos ferimentos e morreram. Já no mesmo período de 2018, houve 30 mortos e 23 feridos, representando um aumento de 79% no número de vítimas. 

Baleados durante ações policiais

Em 29 dos 68 tiroteios/disparos que vitimaram pessoas em casa em 2019, havia agentes de segurança* na cena. Estes tiroteios deixaram 45 feridos e 35 mortos. No mesmo período de 2018, foram 14 tiroteios com a presença de agentes, que deixaram 14 mortos e 9 feridos. O casos e vítimas subiram consideravelmente.

Nem sua casa é um local seguro

Wictor, Lindsay e Luciana de Almeida, mortos no ataque de Marechal Hermes — Foto: Reprodução/TV Globo

Houve, inclusive, casos com mais de uma vítima. Por volta das 3:00 do dia 24 de julho, dois homens armados entraram na casa 241, da rua Igaratá, em Marechal Hermes, na zona norte do Rio, e fizeram vários disparos. O resultado foi uma família inteira baleada: 3 mortos e 1 ferido. Entre as vítimas fatais estava uma adolescente, a Lindsay de Almeida Reis, de 15 anos e uma criança, Wictor de Almeida, de 7 anos, morto com um tiro na cabeça. A mãe deles, Luciana Almeida da Silva, de 35 anos, também morreu. O único sobrevivente foi o pai, Wladimir Dativo dos Santos, de 41 anos. 

Dos 95 baleados dentro de casa este ano, 4 eram crianças, 8 adolescentes**, 7 idosos*** e 7 eram agentes de segurança*. Destes, 2 crianças, 7 adolescentes, 2 idosos e 5 agentes, morreram.


*Agentes de segurança incluem policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas – na ativa, na reserva e reformados.

**O Unicef considera crianças com idade inferior a 12 anos e adolescentes com idade entre 12 anos e 18 anos incompletos.

***Com idade igual ou superior a 60 anos.

Deixe um Comentário





três + quinze =