Comparado com o mesmo período de 2019, o número é 56% menor este ano

Por: Mayara Mangifeste e Olivia Kerhsbaumer

Mesmo ainda sendo significativo, a plataforma Fogo Cruzado mapeou que o registro de tiros durante assaltos e roubos nos 6 primeiros meses de 2020 caiu 56% em relação ao mesmo período de 2019: foram 103 casos, que deixaram 104 pessoas baleadas (38 mortas e 66 feridas). Entre os baleados, 21 eram agentes de segurança* – destes, 9 morreram. O número de baleados também diminuiu em relação ao mesmo período do ano passado, quando houve 205 vítimas – 47 delas agentes públicos de segurança.

Os municípios do Grande Rio que mais registraram tiros nessas situações durante os 6 primeiros meses do ano foram: Rio de Janeiro (52); São Gonçalo (23); Niterói (6) e Duque de Caxias (6). 

Agentes de segurança são 20% das vítimas 

Das 104 pessoas baleadas durante tentativas de roubo ou assalto neste semestre, 21 eram agentes de segurança9 deles morreram. Foi o caso do cabo da Polícia Militar, Márcio Carneiro de Araújo, baleado na manhã no dia 29 de janeiro, durante uma tentativa de assalto na porta de casa, em Bento Ribeiro, Zona Norte do Rio. Ele tinha acabado de deixar o trabalho e foi atingido no peito e nas costas, mas sobreviveu. 

Já o PM Sidnei Moreira dos Santos, não teve a mesma sorte. Ele foi baleado durante uma tentativa de assalto na Av. Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, na noite do dia 14 de fevereiro. Em 2019, 47 agentes de segurança foram baleados em situações de roubo/tentativa – destes, 11 morreram.

* Agentes de segurança incluem policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas – na ativa, na reserva e reformados.

Deixe um Comentário





quinze + três =