Skip to content

Baixe o app

Seja um doador para o fogo cruzado

Novembro: Rio de Janeiro representou 57% do total de tiros registrados

A capital fluminense também teve o maior número de baleados este mês, foram 83 no total

Durante o mês de novembro, a plataforma Fogo Cruzado registrou 463 tiroteios/disparos de arma de fogo na região metropolitana do Rio. No total, 184 pessoas foram baleadas este mês, 101 delas morreram. Comparado com o mesmo período de 2018, quando 725 tiroteios resultaram em 258 pessoas baleadas – sendo 136 mortas -, este mês houve uma queda de 36% no número de tiros. O número de baleados também diminuiu 29%.

A zona norte, líder entre as regiões com mais tiros este mês, teve 29% do total acumulado no Grande Rio (463), foram 135 registros. Em seguida vem a Baixada Fluminense (104), Leste Metropolitano (96), zona oeste (95), Centro (21) e zona sul (12). Em terceiro lugar no ranking, o Leste Metropolitano – composto pelos municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Rio Bonito, Cachoeira de Macacu e Tanguá -, teve o maior número de baleados, foram 61 este mês, 33% do total de baleados no Grande Rio.

Veja mais alguns detalhes sobre a violência armada no Grande Rio em novembro:

  • A capital fluminense representou mais da metade dos tiroteios/disparos de arma de fogo no Grande Rio este mês. Foram 263 tiros no município do Rio de Janeiro, 57% do total. Em seguida no ranking vem São Gonçalo (50), Niterói (37), Belford Roxo (30) e Duque de Caxias (27). O Rio de Janeiro também liderou com 83 vítimas o número de baleados este mês.
  • Em comparação com o mês de outubro (475), o número de tiroteios este mês é ainda menor. Novembro teve uma queda de 2,5% nos registros (463). O número de baleados também diminuiu 8%, foram 184 em novembro e 200 no mês anterior.
  • A Vila Kennedy continuou na primeira posição entre os bairros do Grande Rio com mais tiroteios/disparos em novembro, foram 30 registros. Cidade de Deus (24), Maré (17), Costa Barros (13) e Fonseca, em Niterói (13) completaram o ranking. Costa Barros, em quarto lugar, foi o bairro com o maior número de baleados este mês, foram 9 pessoas atingidas.
  • Em novembro, houve 50 tiroteios/disparos de arma de fogo em áreas com Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). O Complexo de Manguinhos (9), Complexo do Alemão (8), São João (6), Mangueira (4) e Rocinha (4) foram as áreas com mais tiros.
  • Em novembro houve 5 casos com com 3 ou mais mortos em uma mesma situação no Grande Rio, ao todo 21 pessoas foram mortas. Em 4 casos havia a presença de agentes de segurança. Este mês teve uma queda de 38% no número de casos em comparação com 2018. Foram 8 em novembro do ano anterior, nos quais 30 civis foram mortos. Em 6 casos havia presença de agentes de segurança.
  • 14 agentes de segurança foram baleados no Grande Rio este mês, 6 deles morreram – todos os mortos estavam fora de serviço. Houve uma queda de 42% no número de agentes baleados em comparação com o mesmo período de 2018, quando 24 agentes foram atingidos, destes 8 mortos – todos mortos enquanto estavam fora de serviço.
  • Em novembro houve uma queda de 38% no número de vítimas de bala perdida no Grande Rio em comparação com o mesmo período de 2018, foram 13 este ano (4 delas morreram) e 21 no ano anterior (5 morreram). Entre as vítimas deste ano está a estudante Stephani Aparecida Silva dos Santos, de 18 anos, atingida na esquina da Rua Cuba com Avenida Prado Junior, na Penha, quando voltava da escola no dia 21.
  • 2 crianças (até 12 anos incompletos), 4 adolescentes (de 12 anos até 18 anos incompletos) e 3 idosos (a partir de 60 anos) foram baleados no Grande Rio em novembro. Destes 1 criança, 3 adolescentes e 3 idosos morreram. Entre as vítimas está Ketellen Umbelino de Oliveira Gomes, de 5 anos, morta a tiros após ser atingida durante tiroteio na Praça da Cohab, em Realengo, no dia 12.
  • No acumulado do ano – de janeiro até novembro -, o Fogo Cruzado registrou 7.001 tiroteios/disparos de arma de fogo no Grande Rio. Ao todo, 2.708 pessoas foram baleadas este ano, 1.424 morreram e 1.284 ficaram feridas. Embora o número de tiroteios seja 21% menor em comparação com o mesmo período de 2018 (8.940), o número de baleados é 4% maior comparado com os 2.603 registrados.

Deixe um Comentário





20 − doze =

Copy link
Powered by Social Snap