Somente em 6% dos tiros não houve vítimas

Na semana em que o Fogo Cruzado completa 3 anos de atuação em Pernambuco, o Instituto fechou o mês de março com 160 tiroteios/disparos de arma de fogo mapeados na Região Metropolitana do Recife, dos quais em 11 houve participação de agentes de segurança*. O número total de tiroteios foi 16% maior que no mesmo período de 2020, quando houve 138 registros – 8 deles com agentes em cena.

Ao todo, 170 pessoas foram baleadas no Grande Recife: destas, 113 morreram e 57 ficaram feridas. Houve aumento de 13% no número de mortos e queda de 3% na quantidade de feridos em comparação com março de 2020, quando foram registrados 100 mortos e 59 feridos. Em média, 5 pessoas foram baleadas por dia em março.

No mês que passou, o dia 7 de março foi o mais violento para a região metropolitana do estado: houve 14 tiroteios, que deixaram 11 mortos e 8 feridos.

Dos 160 tiroteios mapeados, em 67% (107) deles houve mortos, em 33% (52) deles houve feridos e somente em 6% (9) não houve vítimas.

Locais afetados

Dos 14 municípios que tiveram tiroteios/disparos de arma de fogo no mês de março, os 5 mais afetados foram:

  • Recife: 64 tiroteios, 43 mortos e 25 feridos
  • Jaboatão dos Guararapes: 29 tiroteios, 23 mortos e 6 feridos
  • Cabo de Santo Agostinho: 19 tiroteios, 16 mortos e 3 feridos
  • Camaragibe: 9 tiroteios, 5 mortos e 6 feridos
  • São Lourenço da Mata: 8 tiroteios e 6 mortos e 5 feridos

Os bairros da região metropolitana mais afetados pela violência armada foram:

  • Ponte dos Carvalhos, em Cabo de Santo Agostinho: 5 tiroteios e 5 mortos
  • Bomba do Hemetério, em Recife: 4 tiroteios, 4 mortos e 1 feridos
  • Várzea, em Recife: 4 tiroteios, 3 mortos e 2 feridos
  • Barra de Jangada, em Jaboatão dos Guararapes: 4 tiroteios, 3 mortos e 1 ferido
  • Candeias, em Jaboatão dos Guararapes: 4 tiroteios, 3 mortos e 1 ferido

As vítimas da violência armada

  • Dos 113 mortos na Região Metropolitana do Recife em março, 98% (111) deles eram homens e 2% (2) eram mulheres. Dos 57 feridos, 88% (50) eram homens e 12% (7) eram mulheres.
  • 18 pessoas foram baleadas quando estavam dentro de casa: destas, 15 morreram (sendo 14 das vítimas homens e 1 mulher) e 3 ficaram feridas (todas as vítimas eram homens). No mesmo período de 2020, 21 pessoas foram baleadas dentro de casa: 17 morreram (16 homens e 1 mulher) e 4 ficaram feridas (1 homem e 3 mulheres).
  • 11 adolescentes (com idade entre 12 anos e 17 anos) foram baleados no Grande Recife em março: destes, 8 morreram e 3 ficaram feridos. No mesmo período de 2020, 11 adolescentes e 3 idosos (com idade a partir de 60 anos) foram baleados: destes, 6 adolescentes e 2 idosos morreram.
  • Houve 6 casos de homicídios múltiplos, que deixaram 12 mortos no total (11 homens e 1 mulher). Houve aumento de 50% nos casos, mas o número de vítimas, em comparação com março do ano passado, se manteve o mesmo: 4 casos que deixaram 12 mortos no total (11 homens e 1 mulher).
  • 4 pessoas foram vítimas de balas perdidas** no Grande Recife: todas sobreviveram. Em março de 2020, foram 8 atingidas: 1 morta e 7 feridas.
  • 1 motorista de aplicativo foi baleado no Grande Recife e não sobreviveu. Flávio Barbosa Cavalcanti Júnior, de 26 anos, que era motorista de aplicativo, foi morto a tiros quando estava dentro de um salão de beleza localizado no bairro da Linha do Tiro, no Recife, no dia 24.
  • 1 vendedora ambulante foi baleada na Região Metropolitana do Recife, mas sobreviveu. Larissa Maria da Silva, de 22 anos, foi baleada no dia 4, em frente ao Atacadão de Cruz de Rebouças, Igarassu, enquanto trabalhava como vendedora ambulante.
  • 2 agentes de segurança*** foram baleados no Grande Recife em março: 1 deles morreu.
  • 3 pessoas foram baleadas quando estavam dentro de bares: 2 delas morreram e 1 ficou ferida. O número de mortas e de feridas foi o mesmo em março do ano passado.

Acumulado do ano

Entre janeiro e março, o Fogo Cruzado registrou 427 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Recife. Ao todo, 459 pessoas foram baleadas: 297 morreram e 162 ficaram feridas. Em comparação com o mesmo período de 2020, com 401 tiroteios que deixaram 423 pessoas baleadas – sendo 263 mortas e 160 feridas – houve aumento de 6% nos tiroteios, 13% no número de mortos e  1% na quantidade de feridos. 

* Presença de agentes: Situações em que são percebidas a presença de agentes de segurança durante o tiroteio/disparo. Exemplo: Operação, Ação, Assalto a agentes etc.

** “Vítima de bala perdida”: a pessoa que não tinha nenhuma participação ou influência sobre o evento no qual houve disparo de arma de fogo, sendo, no entanto, atingida por projétil (ISP).

*** Agentes de segurança incluem policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas – na ativa, na reserva e reformados.

Deixe um Comentário





dezessete − dez =