Número de baleados no bairro aumentou, segundo dados do Instituto Fogo Cruzado

No último mês de 2021, moradores do bairro da  Cohab, na Zona Sul do Recife,  presenciaram o aumento da violência armada. O número de tiroteios subiu de um caso, em dezembro de 2020, para seis, em dezembro de 2021, segundo dados do Instituto Fogo Cruzado. Em todos os casos houve baleados: foram seis vítimas em dezembro de 2021 e uma em dezembro de 2020.

Os casos aconteceram durante homicídios ou tentativas de homicídio. Para Cecília Olliveira, diretora executiva do Instituto Fogo Cruzado, esses números apontam para uma característica da Região Metropolitana do Recife.

“Diferente do Rio de Janeiro, onde balas perdidas e tiroteios durante ações policiais e disputas entre grupos armados fazem mais vítimas, o que se presencia no Grande Recife é uma dinâmica de tiro ao alvo, de alvos certeiros. Isso nos mostra que, na maioria dos casos, os crimes parecem ser premeditados”.

A Cohab foi o bairro com mais tiroteios e vítimas em dezembro de 2021. Além dele, no ranking entre os cinco mais afetados pela violência, ficaram:

  • Cohab – Recife: 6 tiroteios, 5 mortos e 1 ferido
  • Prazeres – Jaboatão dos Guararapes: 5 tiroteios e 5 mortos
  • Pina – Recife: 5 tiroteios, 4 mortos e 1 ferido
  • Ponte dos Carvalhos – Cabo de Santo Agostinho: 5 tiroteios, 2 mortos e 2 feridos
  • Ibura – Recife: 4 tiroteios e 4 mortos

Dezembro em números

Em dezembro, a Região Metropolitana do Recife acumulou 149 tiroteios, segundo dados do Instituto Fogo Cruzado. Esse número é 10% maior do que o registrado no mesmo mês de 2020, quando houve 136 tiroteios/disparos.

Apesar do aumento no número de tiroteios/disparos, houve queda entre os baleados. Foram 149 vítimas neste mês que passou (destas, 106 mortas e 43 feridas), contra 163 em dezembro de 2020 (sendo 107 mortas e 56 feridas). Apesar da diminuição, houve, em média, cinco pessoas baleadas por dia em dezembro.

O dia 5 do mês foi o mais impactado pela violência armada, concentrando 15 tiroteios, 10 mortos e seis feridos.

Houve mortos em 71% (106) dos 149 tiroteios/disparos de arma de fogo ocorridos na Região Metropolitana do Recife em dezembro. Em 27% (40) houve feridos. Somente em 4% dos casos (6) não houve vítimas.

A violência no mapa

Entre os municípios que compõem a Região Metropolitana do Recife, os cinco mais afetados pela violência armada foram:

  • Recife: 62 tiroteios, 45 mortos e 19 feridos
  • Jaboatão dos Guararapes: 19 tiroteios, 14 mortos e 5 feridos
  • Cabo de Santo Agostinho: 15 tiroteios, 10 mortos e 4 feridos
  • Paulista: 15 tiroteios, 8 mortos e 5 feridos
  • Olinda: 12 tiroteios, 9 mortos e 3 feridos

O perfil da violência

  • Dos 106 mortos por arma de fogo na Região Metropolitana do Recife em dezembro, 105 (99%) eram homens e uma (1%) era mulher; Entre os 43 feridos, 39 deles (91%) eram homens e quatro (9%) eram mulheres.
  • Não houve casos de homicídios múltiplos, quando há dois ou mais mortos civis em uma mesma situação, na Região Metropolitana do Recife em dezembro de 2021. No mesmo período de 2020, houve seis casos com 16 mortos no total (todos homens).
  • 18 pessoas foram baleadas quando estavam dentro de casa: destas, 12 morreram (11 homens e uma mulher) e seis ficaram feridas (quatro homens e duas mulheres). Em dezembro de 2020, houve 13 pessoas baleadas dentro casa: destas,  11 morreram (todos homens) e duas ficaram feridas (todos homens).
  • Em dezembro, 12 adolescentes (com idade entre 12 anos e 17 anos) e três idosos (com idade a partir de 60 anos) foram baleados no Grande Recife: destes, 10 adolescentes e dois idosos morreram. No mesmo período de 2020, houve cinco adolescentes e um idoso baleados: destes, quatro adolescentes e um idoso morreram
  • Uma pessoa foi atingida por bala perdida na Região Metropolitana do Recife em dezembro. Ela sobreviveu. No mesmo período de 2020, quatro pessoas foram atingidas por balas perdidas: todas sobreviveram.
  • Em dezembro, um vendedor ambulante foi baleado no Grande Recife e sobreviveu. No mesmo período de 2020, um vendedor ambulante foi morto a tiros.
  • Não houve mototaxistas baleados no Grande Recife em dezembro de 2021. No mesmo período de 2020, um mototaxista foi baleado no Grande Recife e sobreviveu.
  • No último mês do ano, duas pessoas foram baleadas quando estavam dentro de bares no Grande Recife: todas morreram. No mesmo período de 2020 cinco pessoas foram baleadas dentro de bares: três morreram.
  • Um agente de segurança foi baleado no Grande Recife em dezembro: a vítima, um PM reformado, sobreviveu. No mesmo período de 2020 não houve agentes de segurança baleados.

SOBRE O FOGO CRUZADO

O Fogo Cruzado é um Instituto que usa tecnologia para produzir e divulgar dados abertos e colaborativos sobre violência armada, fortalecendo a democracia através da transformação social e da preservação da vida. 

Com uma metodologia própria e inovadora, o laboratório de dados da instituição produz mais de 20 indicadores inéditos sobre violência nas regiões metropolitanas do Rio, do Recife e, em breve, em mais cidades brasileiras.

Através de um aplicativo de celular, o Fogo Cruzado recebe e disponibiliza informações sobre tiroteios, checadas em tempo real, que estão no único banco de dados aberto sobre violência armada da América Latina, que pode ser acessado gratuitamente pela API do Instituto.

* Homicídios múltiplos: eventos onde há 2 ou mais mortos civis em uma mesma situação – mesmo que o motivo dos disparos seja outro, como: assalto, ataque, operação etc (SSP de SP). 

** “Vítima de bala perdida”: a pessoa que não tinha nenhuma ligação, participação ou influência sobre o evento no qual houve disparo de arma de fogo, sendo, no entanto, atingida por projétil (ISP).

*** Agentes de segurança incluem policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas – na ativa, na reserva e reformados.

Deixe um Comentário





11 + dois =