Em 71% das ocorrências houve vítimas fatais 

Em 2019, a plataforma Fogo Cruzado registrou 1.295 tiroteios/disparos de arma de fogo na região metropolitana do Recife, uma média de 3 tiroteios por dia, que resultaram em  966 mortos e 434 feridos.

Em 71% (923) dos tiroteios/disparos foram registradas vítimas fatais e em 27% (350) houve feridos. Apenas em 8% (98) dos casos não houve baleados (mortos e/ou feridos). 

O balanço de 2019 é composto por uma série de informações que detalham indicadores como: bairros e municípios com mais tiroteios/disparos de arma de fogo; índices de vítimas fatais e feridos; presença policial durante tiroteios; mortalidade de crianças, adolescentes e idosos; vitimização policial; vítimas de balas perdidas; tiroteios/disparos em residências etc.

Alguns destaques do ano de 2019:

  • Número total de tiroteios/disparos de arma de fogo na região metropolitana do Recife: 1.295
  • Média de tiros por dia: 3,5
  • Número total de baleados: 1400
  • Número total de mortos: 966
  • Mês com mais tiroteios/disparos de arma de fogo: Março (132)
  • Mês com maior número de mortos: Outubro (108)
  • Mês com maior número feridos: Maio (52)
  • Do total de tiroteios/disparos (1.295), em 8% não houve vítimas (98 casos)
  • Do total de tiroteios/disparos (1.295), em 9% havia a presença de agentes de segurança (115 casos)
  • Tiros em residências: 119 casos, com 118 pessoas mortas e 26 feridas dentro de casa.
  • Balas perdidas: 28 pessoas foram vítimas de balas perdidas – destas, 5 morreram e 23 ficaram feridas.
  • 22 agentes de segurança foram baleados em 2019: 9 deles morreram e 13 ficaram feridos. 
  • 13 vendedores ambulantes foram baleados: 8 morreram e 5 ficaram feridos.
  • 15 motoristas de aplicativo foram baleados: 11 morreram e 4 ficaram feridos.
  • Houve 26 tiroteios/disparos em bares deixando 20 pessoas mortas e 24 feridas.

Março foi o mês com o maior número de tiroteios/disparos de arma de fogo em 2019, foram 132 no total. Em seguida vem abril (131), outubro (130), maio (124), fevereiro (119) e janeiro (118). Já o maior número de mortos foi registrado no mês de outubro (108) e em maio, o maior número de feridos (52).

As Áreas Integradas de Segurança (AIS) 6 – Jaboatão (247), 8 – Paulista (215), 4 – Várzea (144), 10 – Cabo de Santo Agostinho (124) e 3 – Recife (121), tiveram o maior número de tiros em 2019.

Recife foi o município com mais tiroteios/disparos de arma de fogo (474), seguido do Jaboatão dos Guararapes (222), Olinda (116), Cabo de Santo Agostinho (101) e Paulista (72). Recife também concentrou o maior número de baleados, foram 497 no total: dos quais, 307 mortos e 190 feridos.

Ibura, no Recife, foi o bairro com o maior número de tiros (32) no ano, seguido de Várzea (28), Prazeres (25), Ponte dos Carvalhos (23), e Cohab do Recife (23). Ibura foi também o bairro com mais feridos (17) e mais mortos (20), juntamente com Prazeres e Ponte dos Carvalhos, que também registraram 20 mortos.

Dos 1.400 baleados na região metropolitana de Recife em 2019, 112 eram adolescentes* , 10 eram crianças** e 37 eram idosos***. Destes, 87 adolescentes, 2 crianças e 28 idosos morreram.

Recife foi o município que concentrou o maior número de adolescentes mortos (22) e feridos (15). Dentre os adolescentes mortos, 84 eram homens e 4 eram mulheres. Já entre os feridos, 19 eram homens e 5 eram mulheres.

 Do total de vítimas fatais (966) no Grande Recife, (918) 95% eram homens. Apenas (47) 5% eram mulheres. Dos 434 feridos, 371 (85,5%) eram homens e 62 (14,3%) eram mulheres. Em 1 caso o gênero da vítima não foi descrito.

Houve 22 agentes de segurança**** baleados na região metropolitana do Recife em 2019. Recife foi o município com mais baleados: 7 no total, dos quais, 3 morreram e 4 ficaram feridos. Em seguida vem Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe e Paulista, com 1 agente de segurança morto e 2 feridos cada. Dos 22 agentes de segurança baleados em 2019, 9 morreram e 13 ficaram feridos. Dos 22 casos, 15 estavam fora de serviço.

Durante o ano de 2019 houve 39 homicídios múltiplos que resultaram na morte de 82 pessoas. Destes, 35 foram duplos homicídios e 4, triplos homicídios. Do total de mortos, 63 eram homens, e 19 eram mulheres.

A região metropolitana do Recife teve 119 tiroteios/disparos de arma de fogo em residências. Ao todo, 118 pessoas foram mortas ( 104 homens e 14 mulheres) e 26 ficaram feridas (15 homens e 11 mulheres) dentro de casa. Do total de mortos, 8 eram adolescentes e 1 era criança. Do total de feridos, 2 eram crianças.

Recife foi o município com mais registros de mortos em residências (32), seguido por Jaboatão dos Guararapes (25) e Paulista (12). 

O bairro com mais mortos em residências foi Candeias (6), em Jaboatão dos Guararapes, seguido de Maranguape II (5), em Paulista, e Jaguaribe (4), em Ilha de Itamaracá. Já o bairro com mais registros de pessoas feridas em residências foi Sítio dos Marcos (3), em Igarassu, seguido de Barra de Jangada e Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, ambos com 2

13 vendedores ambulantes foram baleados no Grande Recife em 2019. Destes, 8 morreram e 5 ficaram feridos.

Houve 26 tiroteios/disparos de arma de fogo em bares do Grande Recife em 2019. Estes ataques deixaram 20 pessoas mortas – todos homens -, e 24 pessoas feridas (19 homens e 5 mulheres).

Houve 26 casos de balas perdidas em 2019 – inclusive incidentes com mais de uma vítima. No total, 28 pessoas foram baleadas  – 5 delas morreram.

15 motoristas de aplicativo foram baleados em 2019: 11 morreram e 4 ficaram feridos. Recife foi o município com  mais casos de motoristas baleados (7):  4 mortos e 3 feridos. Em seguida vem Camaragibe com 4 registros – sendo 3 mortos e 1 ferido. E Jaboatão dos Guararapes, com 2 registros – todos 2 mortos.

Dos 1.295 tiroteios/disparos de arma de fogo registrados em 2019, execução/homicídio (tentados e consumados) foi a principal causa dos tiros no Grande Recife: 924. Em seguida aparece roubo ou tentativa (96), ataque a civis (86), ação ou operação policial (60), e briga (36). Houve também 83 casos em que ninguém soube informar os motivos e autoria dos crimes.

O Fogo Cruzado, originado em 2016 no Rio de Janeiro, expandiu-se em abril de 2018 para Pernambuco, atuando na região metropolitana do Recife para mapear e quantificar a violência armada na região. Desde 2019, a plataforma atua em parceria com o GAJOP.


* Adolescentes com idade entre 12 anos e 18 anos incompletos.

** Crianças com idade inferior a 12 anos.

*** Idosos a partir de 60 anos.

**** Agentes de segurança incluem policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas – na ativa, na reserva e reformados.

Deixe um Comentário





11 + dois =