Skip to content

Baixe o app

Seja um doador para o fogo cruzado

Operações policiais com helicópteros usados como plataforma de tiros aumentaram em 2019

Neste semestre, houve um aumento de mais de 40% em relação a todo ano passado

No primeiro semestre do ano, a plataforma Fogo Cruzado registrou 11 operações policiais em que helicópteros foram usados como plataforma de tiros na Região Metropolitana do Rio. Houve um aumento de 83% em relação a todo o ano de 2018, quando foram registradas 6 operações deste tipo.

O Complexo da Maré, na zona norte, e a Cidade de Deus, na zona oeste, foram os bairros com mais registros de casos neste ano, com 3 operações em cada. A Maré foi o bairro com mais mortos durante essas operações; uma operação com 7 mortos em 2018 e outra com 8, em 2019.

No último dia 06 de maio, uma operação que contou com o helicóptero da Polícia Civil terminou com 8 mortos. Durante a operação, crianças foram vistas saindo da escola, correndo, procurando abrigo para se protegerem dos tiros.  

Crianças saindo da escola correndo em meio ao tiroteio no Complexo da Maré – Reprodução/Twitter Maré Vive

Em setembro do ano passado, um intenso tiroteio durante operação policial deixou sete mortos; entre eles, o adolescente Marcos Vinícius, de 14 anos, atingido na barriga quando estava a caminho da escola acompanhado da mãe.  Em 2018, a extinta Secretaria de Segurança proibiu o uso de helicópteros para disparar rajadas durante operações. A medida foi uma ordem da Justiça que obrigou o estado a apresentar um plano para reduzir os riscos e danos a moradores causados  durante as ações. Tal plano foi suspenso em julho e a Defensoria Pública está recorrendo

No dia 4 de junho, o Ministério Público Federal (MPF) foi proibido de atuar em casos de tiros efetuados de helicópteros, e outras aeronaves de forças de segurança. A decisão é provisória e ainda será discutida pelo CNMP. 

Deixe um Comentário





1 + 13 =

Copy link
Powered by Social Snap