Em comparação com 2019, houve queda de 2% no número total de baleadas

Por: Dália Celeste

Nos 6 primeiros meses de 2020, a plataforma de dados sobre violência armada Fogo Cruzado registrou 869 tiroteios/disparos de arma de fogo no grande Recife. No total, 932 pessoas foram baleadas, destas 60 eram mulheres: 29 delas morreram e 31 ficaram feridas.

Comparado com o primeiro semestre de 2019, quando houve 717 tiroteios/disparos na Região Metropolitana, houve queda de 2% no número de mulheres baleadas. No mesmo período do ano passado, 28 mulheres foram mortas e 33 feridas.

Apesar das consequências gerais de conflitos armados, a situação na qual mulheres são vítimas de violência armada ainda é muito frequente. Este foi o caso da fotógrafa Leandra Jennifer, de 21 anos. Ela foi morta a tiros durante uma briga com o companheiro em 9 de fevereiro deste ano, após voltar de um bloco carnavalesco no bairro da Madalena, em Recife.

Tiros em residências

Só neste primeiro semestre, 15 mulheres foram baleadas dentro de casa. No mesmo período do ano passado, foram 17 – o que representa uma queda de 12% neste número total. Das 32 vítimas nos dois primeiros semestres, 18 delas não resistiram aos ferimentos e morreram – 9 em cada ano. Isto mostra que estar em casa como medida de proteção contra o coronavírus, não é necessariamente estar seguro. A violência armada não deu trégua. 

Oficialmente a quarentena começou no dia 21 de março, mas menos de um mês depois, em 10 de abril, Randy Maria dos Santos, de 36 anos, a filha Randy Carla dos Santos, de 19 anos e uma amiga de 33 anos foram baleadas quando estavam em casa, no Loteamento Cidade Criança, conhecido como Favelinha, em Itapissuma. Randy Carla foi socorrida, mas morreu no dia seguinte no Hospital da Restauração. A mãe dela e a amiga morreram na hora.

Adolescentes baleadas 

No primeiro semestre de 2020, 1 adolescente* foi morta e 5 ficaram feridas no Grande Recife. No mesmo período de 2019, 3 adolescentes foram feridas e 1 morta. 

Grávida de 6 meses, uma adolescente de 17 anos, foi morta a tiros no dia 26 de maio no Alto da Bondade, em Olinda. Ela e um homem de 22 anos, que também morreu, foram alvo de ocupantes de uma moto que passaram atirando na direção deles. O bebê que ela esperava também morreu.

Além das adolescentes, houve casos de crianças** mortas e feridas por balas perdidas – um total de 4 meninas foram baleadas desde o início do ano –1 delas morreu.

Múltiplos homicídios

Houve 20 múltiplos homicídios, que resultaram em 45 mortos neste semestre no Grande Recife. Dentre as vítimas, 12 eram mulheres. No mesmo período do ano passado houve 19 casos com 41 vítimas – 12 eram mulheres.

Do total (932) de baleados na Região Metropolitana nos primeiros 6 meses do ano, 6%60 – eram mulheres. Os municípios de Recife (17), Cabo de Santo Agostinho (9) e Jaboatão dos Guararapes (8) tiveram mais vítimas.

Os bairros onde houve mais mulheres baleadas foram: Centro e Ponte dos Carvalhos, em Cabo de Santo Agostinho (3 mulheres baleadas em cada) e Cidade Criança, em Itapissuma (também com 3 mulheres baleadas).

* com idade entre 12 anos até 18 anos incompletos

** com idade inferior a 12 anos 

Deixe um Comentário





nove − sete =