Última vez que o bairro figurou como “campeão” em tiros foi em maio de 2018

No terceiro mês de 2019, o Laboratório de Dados sobre violência armada Fogo Cruzado mapeou 795 tiroteios/disparos de arma de fogo no Grande Rio, uma média de 26 registros por dia. Em fevereiro, foram 661 registros no Grande Rio, um crescimento de 20%.

O número de atingidos por bala perdida este mês continua alto, apesar de ser 1 a menos que o registrado em março de 2018: foram 17 (destes, 6 mortos) este ano e 18 (destes, 7 mortos) ano passado.

Veja mais alguns detalhes sobre a violência armada no Grande Rio em março: 

  • Houve 489 tiroteios/disparos de arma de fogo na cidade do Rio em março de 2019 – um aumento de 6% comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram registrados 462. 
  • A Praça Seca foi o bairro líder no número de tiros registrados: 47. Isso representa quase 7% do total de tiros registrados no Grande Rio. O último mês em que o bairro havia sido “campeão” em tiros foi em maio de 2018, com 48 registros.
  • O Complexo do Alemão segue no topo do ranking de áreas com UPP com mais registros de tiroteios/disparos de arma de fogo (31), seguido de Complexo da Penha (25), Macacos (13), Complexo de Manguinhos (12) e Vidigal (10).
  • Os municípios que ocupam os 3 primeiros lugares no ranking com maior número de tiroteios/disparos de arma de fogo este mês, tiveram aumento nos registros em relação à fevereiro, são eles: Rio de Janeiro (+25%), Belford Roxo (+27%) e São Gonçalo (+23%). 
  • A zona norte da capital segue como região do Grande Rio com mais registros de tiroteios/disparos de arma de fogo em março (233). A área representa 29% de todos os registros da Região Metropolitana neste período. No entanto, a Baixada Fluminense concentrou 39,5% dos mortos por tirosno Grande Rio (129) – 51 no total. 
  • Em março, 20 agentes de segurança foram baleados no Grande Rio – dos quais 6 morreram. Destes, 5 foram mortos fora de serviço. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve uma redução de 45% na morte de agentes de segurança na região metropolitana – foram 27 agentes baleados, sendo 11 mortos. 
  • 17 pessoas foram vítimas de bala perdida este mês no Grande Rio – 6 morreram. Entre as vítimas fatais, Ana Maria Vieira de Souza, 54 anos, atingida dentro de casa, no dia 03/03, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio, em tiroteio durante ação policial na região. No mesmo período do ano passado, 18 pessoas foram atingidas – destas, 7 morreram.  
  • Em março, 5 adolescentes (até 17 anos incompletos) foram baleados no Grande Rio – destes, 3 morreram. Entre eles Kauan Ramiro, 14 anos, baleado durante o carnaval em Marechal Hermes, zona norte do Rio e Kauan Peixoto, 12 anos, baleado durante ação policial em Mesquita. 
  • 3 idosos morreram baleados na região metropolitana do Rio este mês – 2 foram vítimas de bala perdida -, como a Maria do Carmo Loyola, de 63 anos, atingida no 1º dia do mês, no bairro Shangri-lá, em Belford Roxo, Baixada Fluminense. 
  • Março de 2019 não teve nenhum registro de casos com 3 ou mais civis mortos em uma mesma situação. No mesmo mês do ano passado, foram 7 registros com 30 mortos no total.

Deixe um Comentário





10 + 15 =