Skip to content

Fogo Cruzado é finalista no 7º Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos

O Fogo Cruzado está entre os selecionados na categoria “Práticas Humanísticas”, e concorre com o Banco de dados Leoneide Ferreira – iPenha, a Lei Maria da Penha nas escolas, A Janela e o Café das Fortes. A categoria visa contemplar “cidadãos e entidades que se destaquem pela criação, planejamento, implementação e institucionalização de práticas voltadas para os Direitos Humanos e Cidadania”. Em 2017 o Fogo Cruzado foi destacado como uma das iniciativas mais inovadoras do mundo na publicação “Atlas da Inovação para a Estabilidade Econômica”, da FHI 360 (A Ciência de Melhorar Vidas), financiado pela Rockefeller Foundation, nos EUA.

A cerimônia de premiação, que ainda conta com as categorias “Trabalhos dos Magistrados”, “Reportagens Jornalísticas” e “Trabalhos Acadêmicos”, será no dia 12 de novembro, às 18h, no Tribunal Pleno do TJ-RJ.

Os 355 inscritos este ano abordaram temas como escravidão, fome, imigração ilegal, violência urbana, feminicídio e prolongamento artificial da vida.

Os 5 selecionados ao prêmio poderão ganhar R$ 15 mil, R$ 10 mil e R$ 5 mil, respectivamente. O valor será dado aos três primeiros colocados em cada categoria, exceto “Trabalhos de Magistrados”.

Sobre o Prêmio Patrícia Acioli:

Com objetivo de homenagear a memória da juíza Patrícia Acioli – assassinada em 2011 – e dar continuidade à luta da magistrada em prol da dignidade humana, a Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro criou, em 2012, o Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos.

A premiação tem o intuito de promover um mergulho no amplo universo dos Direitos Humanos e Cidadania, através do fortalecimento do diálogo entre o Judiciário e a sociedade. A Constituição garante a todos o direito à vida, à liberdade, à igualdade e à segurança. O objetivo do Prêmio é justamente defender que esses direitos sejam respeitados.

Saiba mais clicando aqui.

Deixe um Comentário





3 × um =

Copy link
Powered by Social Snap