Publicado em 21 de julho na newsletter Fonte Segura, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, um artigo de autoria de Joana Monteiro, Eduardo Fagundes e Ramón Chaves, aponta para queda na participação de agentes de segurança em tiroteios e também uma queda na letalidade policial nos últimos meses do período de isolamento social na Região Metropolitana do Rio.

O levantamento, que utilizou dados do Fogo Cruzado através da API, contraria o que diz  a Secretaria de Estado de Polícia Civil (SEPOL), ao afirmar que “a estratégia de combate frontal às organizações criminosas seria a principal responsável por manter os indicadores criminais em patamares relativamente baixos nos últimos anos”.

Assim que o Estado passou a adotar as medidas de quarentena, em março deste ano, houve relativa queda nos indicadores de roubo de rua, roubo de veículo, crimes violentos letais intencionais (CVLI). Por outro lado, incursões da polícia e mortes por intervenção de agentes de Estado se mantiveram em alta, iniciando uma queda vertiginosa apenas em junho. 

Ainda segundo o artigo publicado no Fórum, a queda coincide com uma reunião do governador Wilson Witzel e a cúpula da Segurança Pública fluminense, ainda em maio, onde ficou determinada a suspensão de operações policiais nas favelas do estado durante ações sociais. No mês seguinte, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), passou a restringir a realização de operações em favelas do estado durante a pandemia do novo coronavírus.

Para ter acesso ao levantamento, é preciso se cadastrar no site do Fonte Segura.

Deixe um Comentário





cinco × 1 =