Skip to content

Baixe o app

Seja um doador para o fogo cruzado

Mapa Recife

Em 100 dias, Fogo Cruzado PE registra média diária de 4 disparos de arma de fogo no Grande Recife

Operando em PE desde 01.04, Fogo Cruzado registrou 411 tiros na região metropolitana no período. 29 deles em duplos e triplos homicídios

Recife (PE), 12 de Julho de 2018 – No dia 09 de julho o Fogo Cruzado Pernambuco completou 100 dias de operação na Região Metropolitana do Recife. Neste período foram registrados 411 disparos de arma de fogo/tiroteios na região, com 319 vítimas fatais e 150 feridos.

Dentre as informações produzidas nestes 100 dias se destacam: municípios que mais acumularam notificações, bairros mais afetados, proporções de gênero entre vítimas fatais e feridos, vítimas fatais e feridos em domicílios, casos de duplos e triplos homicídios e número de homicídios por Área Integrada de Segurança – divisão territorial feita em Pernambuco para acompanhamento de ações e resultados pelo Comitê Gestor do Pacto Pela Vida.

Destaques:

    • Durante os primeiros 100 dias de operação do Fogo Cruzado na região metropolitana do Recife, foram registrados em média 3 mortes por disparo de arma de fogo por dia na Região Metropolitana do Recife. No Recife, a média é de 1 morte por dia.
    • A capital pernambucana lidera todos os indicadores captados pelo Fogo Cruzado com 151 registros de disparos de arma de fogo/tiroteios, seguido de Jaboatão dos Guararapes (56), Olinda (37), Cabo de Santo Agostinho (36) e Igarassu (33).
    • Os bairros da Região Metropolitana do Recife com maior número de disparos de arma de fogo/tiroteios registrados foram: Ibura (19), Cohab de Recife (13), Centro de Igarassu (10), Iputinga de Recife, Peixinhos de Olinda e Piedade de Jaboatão dos Guararapes (com 8 cada).
    • Nos primeiros 100 dias, 37 notificações ocorreram dentro das residências das vítimas.
    • As Áreas Integradas de Segurança 8, 10 e 6 concentraram 46% das notificações de disparos de arma de fogo com um total de 163 mortos e 67 feridos.
    • As Áreas Integradas de Segurança que compõem a capital pernambucana (AIS 1 a 5) condensaram 152 notificações de disparos de arma de fogo e 103 mortes.
    • 29 ocorrências foram de duplos e triplos homicídios, num total de 62 vítimas fatais e 14 feridos. A maioria foi registrada no Recife (8), Jaboatão dos Guararapes (3) e Cabo de Santo Agostinho (3) e Olinda (3).
    • 91% dos feridos e 97% dos mortos por disparos de arma de fogo/tiroteios registrados na Região Metropolitana de Recife são homens.
    • 8,8% das notificações não tiveram vítimas informadas
    • Em 70% das notificações houve vítimas fatais.
    • Maio foi o mês recorde de disparos de arma de fogo/tiroteios (133) e de homicídios (100).
  • Junho foi o mês com o maior registro de feridos (59).

Cards:

Nos primeiros 100 dias de atuação, o laboratório de dados Fogo Cruzado registrou 411 notificações de disparos de arma de fogo/tiroteios na Região Metropolitana do Recife. O maior número de notificações se concentrou em Recife (151), seguido por Jaboatão dos Guararapes (56), Olinda (37), Cabo de Santo Agostinho (36) e Igarassu (33). Durante o período, 319 pessoas morreram e 150 foram feridas por disparos de arma de fogo.

Dentre os bairros da região metropolitana do Recife com o maior número de disparos de arma de fogo/tiroteios nos últimos 100 dias, o Ibura registrou o maior número de casos (19), seguido da COHAB (13); Centro de Igarassu (10); Iputinga (8); Peixinhos (8) e Piedade (8).

Dentre as 411 notificações registradas em 100 dias de operação do Fogo Cruzado na região metropolitana do Recife, 69.59% reportaram casos com vítimas fatais, 30, 41% das entradas contabilizaram feridos e 8,76% não tiveram vítimas.

Dentre as 411 notificações registradas pelo laboratório de dados Fogo Cruzado em 100 dias de atuação na região metropolitana do Recife, foram registradas 150 feridos por disparos de arma de fogo. Destes, 91% eram homens e 8% em mulheres.

Dentre as 411 notificações registradas pelo laboratório de dados Fogo Cruzado em 100 dias de atuação na região metropolitana do Recife, foram registradas 319 vítimas fatais, sendo 97% homens e 3% mulheres.

Em 100 dias, o Fogo Cruzado registrou 411 notificações de disparos de armas de fogo na Região Metropolitana do Recife, 29 destas em duplos e triplos homicídios – num total 62 vítimas fatais. Outras 14 pessoas foram feridas

Dentre as 411 notificações de disparos de armas de fogo contabilizadas pelo Fogo Cruzado em 100 dias, 37 ocorreram na residência das vítimas, contabilizando 30 mortos e 14 feridos.

Dentre as 411 notificações de disparos de armas de fogo contabilizadas pelo Fogo Cruzado em 100 dias, 152 foram registradas em 5 Áreas Integradas de Segurança que compõem a capital pernambucana. Na AIS 1 (Bairro Do Recife, Santo Antônio, São José,  Cabanga, Boa Vista, Soledade, Santo Amaro, Ilha Joana Bezerra, Coelhos, Ilha do Leite, Paissandu) foram 18; AIS 2 (Espinheiro, Derby, Graças, Espinheiro, Aflitos,  Rosarinho, Encruzilhada, Torreão, Ponto de Parada, Hipódromo, Campo Grande, Madalena, Torre, Zumbi, Cordeiro, Iputinga, Campina do Barreto, Arruda,  Água Fria, Fundão, Cajueiro, Peixinhos (Porção Recife),Chão de Estrelas) 22; AIS 3 (Pina, Boa Viagem, Brasília Teimosa, Ibura, Jordão, Imbiribeira, Ipsep, Cohab (1. UR – 1 2. UR – 2 3. UR – 3 4. UR – 4, UR – 5, UR – 10 , Milagres, Pantanal)),48; AIS 4  (Afogados, Jiquiá, Areias, Caçote, Estância, Jardim São Paulo, Tejipió, Sancho Totó, Coqueiral, Ilha do Retiro, Prado, Bongi, Mustardinha, Mangueira, San Martin), 43; AIS 5 (Jaqueira, Santana, Poço da Panela, Parnamirim, Casa Forte, Tamarineira, Casa Amarela, Bomba do Hemetério,  Alto Santa Terezinha, Alto José Bonifácio, Linha do Tiro, Dois Unidos, Passarinho, Beberibe, Porto da Madeira, Alto José do Pinho,Mangabeira, Morro da Conceição (Largo Dom Luiz), Vasco da Gama, Apipucos, Macaxeira, Nova Descoberta, Brejo do Beberibe, Brejo da Guabiraba, Córrego do Jenipapo, Dois Irmãos, Sítio dos Pintos) ocorreram 21.

Em 100 dias o Fogo Cruzado registrou 411 notificações de disparos de arma de fogo/tiroteios na região metropolitana do Recife. Destas, 259 ocorreram em 6 Áreas Integradas de Segurança que compõem a Região: Na AIS 6 (Jaboatão dos Guararapes e Moreno) foram 59 notificações; AIS 7 (Olinda), 36; AIS 8, (Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Itapissuma, Itamaracá e Araçoiaba), 79; AIS 10 (Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho) 53; AIS 11, (Goiana) 3; e na AIS 9 (Camaragibe e São Lourenço da Mata) 29.

Em 100 dias de atuação, o Fogo Cruzado registrou um aumento de 22% nas notificações de disparos de arma de fogo/tiroteios entre abril e maio e uma redução de 4% entre maio e junho. Maio foi o mês com maior número de notificações (133) e mortos (100).

EXPANSÃO

O laboratório de dados sobre violência armada, Fogo Cruzado, iniciou sua expansão para outras praças brasileiras após sua consolidação no Rio de Janeiro, que já tem cerca de 200 mil downloads. Desde abril de 2018, o projeto foi implementado na Região Metropolitana do Recife. A capital pernambucana e arredores têm sofrido com altos índices de homicídios e violência armada, registrando 658 mortes violentas em 2016, de acordo com o Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Assim como já ocorre no Rio de Janeiro, o trabalho vem sendo realizado em conjunto com pesquisadores e redes locais que monitoram a violência para garantir a legitimidade e a consistência dos dados.

“Sabemos que existem variações nos vetores e nos impactos da violência armada nas diferentes regiões metropolitanas do país. Como o esperado, o mapa do Recife se mostrou diferente do que observamos no Rio de Janeiro, por exemplo. Isso reitera a importância de levar o aplicativo e o mapeamento para outros lugares que vivenciam graves problemas de segurança pública, mas nem sempre têm a mesma visibilidade”, analisa Cecília. “A experiência em Recife vem nos ajudando a compreender melhor a ocorrência de tiroteios e disparos de armas de fogo, alertando as pessoas sobre a ocorrência de tiros e então, dando a possibilidade de resguardar sua vida e ainda gerar dados que apoiem a elaboração de políticas públicas regionais adequadas para reduzir a violência”.

PARCEIRO EM PERNAMBUCO

Em Pernambuco, o Fogo Cruzado vem sendo operado por pesquisadores do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas de Segurança Pública (NEPS) da Universidade Federal de Pernambuco.

“O Fogo Cruzado em Pernambuco, fruto da parceria do laboratório de dados  com o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Públicas da UFPE (NEPS-UFPE) é um exemplo de como sociedade civil e academia podem cooperar produzindo inovação que permita a ampliação da cidadania. Em tempos de baixa transparência da informação criminal em Pernambuco e no Brasil, o Fogo Cruzado disponibiliza informação de qualidade e aberta, que pode auxiliar no monitoramento e controle das políticas públicas de segurança no estado” destaca José Luiz Ratton, coordenador do NEPS-UFPE e gestor do Fogo Cruzado em Pernambuco.

Situado em Recife e vinculado ao Departamento de Sociologia e ao Programa de Pós-Graduação de Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco, o NEPS tem buscado contribuir para a construção de conhecimento sobre os processos de produção do crime e da violência; em Pernambuco, no Nordeste e no Brasil, em perspectiva multidimensional.

Além disso, propõe-se a participar da construção, implementação e avaliação de políticas públicas na área de segurança, assim como no estabelecimento de um debate crítico sobre o tema, seja no plano acadêmico ou junto à sociedade civil, tanto no país quanto na América Latina.

COMO FUNCIONA

Além de receber notificações de usuários diretamente pelo sistema, a equipe de gestão de dados do Fogo Cruzado recebe informações via Whatsapp, mensagens diretas via Twitter e inbox do Facebook. No caso do whatsapp, só são consideradas fontes conhecidas e com as quais já existe relacionamento prévio, como coletivos, comunicadores e moradores ativos localmente.

A equipe do Fogo Cruzado também adiciona às bases de dados as informações recolhidas via imprensa e canais das autoridades policiais. Vale notar que as notificações publicadas no mapa do Fogo Cruzado são sinalizadas de acordo com suas fontes.

Quando chega a notificação de um tiroteio/disparo de arma de fogo, esta informação não é automaticamente publicada no mapa e nas redes sociais do Fogo Cruzado. Imediatamente, a equipe de gestão de dados cruza a notificação com scripts e filtros desenvolvidos para  agregar informações sobre disparos de arma de fogo na região metropolitana do Recife. Desta forma, é possível saber quem, quando e onde está se falando sobre o assunto de forma a cruzar informações sobre um mesmo tiroteio/disparo de arma de fogo. Após tal verificação, a notificação é  postada nas redes e o incidente fica em registro público.

Mais informações:

Para mais informações: https://nepsufpe.com/

Observatório de Violência do Nordeste [email protected] ou [email protected]

Deixe um Comentário





5 × 1 =

Copy link
Powered by Social Snap