Instituto Fogo Cruzado registra aumento significativo de mortes de idosos atingidos por tiros em 2021

Uma média de três idosos foram baleados por mês em 2021 na Região Metropolitana do Recife. Os números divulgados pelo Instituto Fogo Cruzado mostram que 74 idosos, ou seja, pessoas com 60 anos ou mais, foram atingidos desde o início do monitoramento em Pernambuco, em 2018. Estes dados servem como um alerta neste 20º ano em que deveria se comemorar o Dia Internacional do Idoso, instituído pela ONU em 1991.

Chama atenção as 24 pessoas da terceira idade vítimas da violência armada somente este ano. A quantidade de atingidos nesta faixa etária já é quase a mesma do total registrado no ano passado inteiro, quando o levantamento mostrou que 25 idosos foram baleados por arma de fogo. O quadro revela uma piora já que foram notificadas 14 mortes até agora, mais que o registrado no ano passado todo, quando houve 13 mortes.

Ao que parece, a “melhor idade” não protegeu essas pessoas do avanço da violência armada, pelo contrário: as tornou ainda mais vulneráveis. Execuções e homicídios lideram os motivos de tiros e mortes, que deixaram 11 vítimas no total, além de oito feridos em tentativas de homicídio. Já os roubos e tentativas contabilizaram cinco baleados, três deles morreram.

O perigo da violência armada rondou os idosos até dentro de casa, onde seis deles foram baleados. Como no caso de Marinalva de Lira, de 69 anos, morta a tiros quando tentava proteger o filho, alvo dos disparos. Eles foram surpreendidos por invasores na Rua da Empoeira, em Goiana, no dia 20 de maio. Entretanto, os homens foram os mais afetados pela violência armada nessa faixa etária, totalizando 75% dos baleados neste ano (18), enquanto outras seis eram mulheres.

Locais com mais vítimas

Mais da metade dos idosos baleados na Região Metropolitana do Recife foram atingidos na capital. Houve 14 vítimas e em seguida Cabo de Santo Agostinho (3), Jaboatão dos Guararapes (3), Goiana (2), Olinda (1) e Paulista (1).

SOBRE O FOGO CRUZADO

O Instituto Fogo Cruzado usa tecnologia para produzir e divulgar dados abertos e colaborativos sobre violência armada, fortalecendo a democracia através da transformação social e da preservação da vida. 

Com metodologia própria e inovadora, o laboratório de dados da Instituição produz mais de 20 indicadores inéditos sobre violência nas regiões metropolitanas do Rio, do Recife e, em breve, em mais cidades brasileiras.

Por meio de um aplicativo de celular, o Fogo Cruzado recebe e disponibiliza informações sobre tiroteios, checadas em tempo real. Elas estão disponíveis no único banco de dados aberto sobre violência armada da América Latina, que pode ser acessado gratuitamente pela API do Instituto.

Deixe um Comentário





cinco − 4 =