Número de baleados em residências aumentou 27%

Em dois meses de quarentena, houve 328 tiroteios/disparos de arma de fogo no Grande Recife, uma média de 5 tiroteios/disparos por dia. Ao todo, entre 21 de março e 20 de maio, o laboratório de dados sobre violência armada Fogo Cruzado contabilizou 367 pessoas baleadas – destas, 211 morreram. Neste período em que foram decretadas as medidas de isolamento por conta do novo coronavírus, houve aumento de 15% no número de mortos e de 97% no número de feridos, em comparação com o mesmo período de 2019, quando, em 256 tiroteios, 262 pessoas foram baleadas, sendo 183 delas mortas. 

PERIGO EM CASA

Dentre as medidas adotadas para conter o avanço do coronavírus, ficar em casa é a principal delas. Porém, com relação à violência armada, os dados mostram que as residências não têm sido um lugar tão seguro. Isso é comprovado pelo aumento de 27% no número de baleados dentro de casa (33), comparado ao mesmo período de 2019 (21). Houve um aumento de 80% no número de feridos durante a quarentena (9) em comparação com 2019 (5). Já no número de mortos nesse período (24) e em 2019 (21), esse aumento foi de 14%

Dentre as vítimas do período de quarentena, estão Lindaci Cordeiro da Costa, de 47 anos, o marido Cícero Batista dos santos, de 57 anos, e o filho Vanderson Costa dos Santos, baleados dentro de casa na Rua Catende, em Santo Aleixo, Jaboatão dos Guararapes, no dia 11 de maio. Mãe e filho não resistiram aos ferimentos e morreram no local.

Confira alguns destaques sobre a violência armada nesses dois meses de quarentena:

  • Recife liderou o ranking de municípios com o maior número de tiroteios/disparos de arma de fogo durante os dois primeiros meses da quarentena, com 115 registros; seguido por Jaboatão dos Guararapes com 52, e Olinda com 43 registros. Comparado ao mesmo período do ano passado, Recife teve aumento de 44% no número de tiroteios/disparos de arma de fogo. Olinda também teve aumento de 54%. Já Jaboatão dos Guararapes teve uma queda de 10%.
  • Águas Compridas, em Olinda, liderou o ranking de bairros com o maior número de tiroteios/disparos de arma de fogo durante os dois meses da quarentena com 10 registros, seguida de Ponte dos Carvalhos (9), em Cabo de Santo Agostinho, Torrões e Várzea, ambos em Recife com 6 registros cada. Comparado com o mesmo período de 2019, Torrões e Águas Compridas tiveram aumentos de mais de 200% nos registros de tiros e Ponte dos Carvalhos registrou aumento de 125%. Já o bairro da Várzea, no Recife, apresentou diminuição de 14% da violência armada.
  • 1 criança*, 27 adolescentes** e 2 idosos*** foram baleados nos dois primeiros meses de quarentena – destes, 16 adolescentes e 2 idosos morreram. Dentre as vítimas adolescentes está o ex-participante do The Voice Kids, Tuca Almeida, de 15 anos, morto a tiros dentro de um estabelecimento comercial no bairro de Candeias, em Jaboatão dos Guararapes, no dia 30 de abril.
  • Nestes dois meses de isolamento social, o Fogo Cruzado mapeou 24 mulheres baleadas na região metropolitana do Recife – destas, 13 morreram. Os dados representam um aumento de 8% no número de mulheres mortas em comparação com o mesmo período do ano passado (12). Dentre as vítimas do período de quarentena está Íris Barbosa Guerra, de 41 anos, morta com um tiro no rosto dentro de casa em Jardim Piedade, Jaboatão dos Guararapes, no dia 13 de maio. José Ademilton de Lima, marido da vítima e também autor dos disparos, foi baleado na perna pelo filho, de 20 anos, que agiu em legítima defesa.
  • Apesar das medidas de isolamento, 3 pessoas foram baleadas dentro de bares no Grande Recife – todas morreram. No dia 17 de maio, o entregador de pizza Henrique Ferreira da Silva, de 29 anos, foi morto a tiros enquanto bebia em um bar no bairro do Passarinho, em Olinda. 
  • Durante os dois primeiros meses de isolamento social no Grande Recife, 8 pessoas foram vítimas de bala perdida – nenhuma morreu. Comparado ao mesmo período de 2019 (com 4 baleados) houve um aumento de 100% no número de vítimas. Dentre as vítimas do período de quarentena está o barbeiro Givanildo Antônio da Silva, baleado dentro do seu estabelecimento na Rua da Macaíba, em Passarinho, Olinda, no dia 29 de abril. 
  • Neste período, a plataforma Fogo Cruzado registrou 2 casos com 3 ou mais civis mortos em uma mesma situação, deixando 6 mortos no total. Em 2019, entre os dias 21 de março e 20 de maio, houve 1 caso deixando 3 mortos.
  • 1 motorista de aplicativo foi baleado durante o período de quarentena no Grande Recife. A vítima de 33 anos, foi baleada numa tentativa de assalto no bairro do Prado, em Recife, no dia 9 de abril. Na ocasião, ele conseguiu dirigir até o hospital e ser socorrido.
  • 1 vendedora ambulante foi baleada nesses dois meses de quarentena no Grande Recife. Melissa de Brito Rocha, de 26 anos, estava grávida de 9 meses e foi baleada enquanto vendia lanches na rua Doze, em Maranguape I, Paulista, no dia 26 de março. Ela foi socorrida pela mãe que estava próxima ao local. Mãe e bebê sobreviveram.
  • No dia 11 de abril, uma briga entre detentos do Presídio Frei Damião de Bozzano, no Complexo do Curado, em Recife, terminou com 6 baleados – 1 deles morreu. Este é o segundo tiroteio dentro de presídios no Grande Recife em 2020. 
  • Neste período de quarentena, 2 agentes de segurança**** foram mortos a tiros no Grande Recife, ambos estavam fora de serviço. Um deles, um policial militar aposentado, foi baleado no dia 9 de abril, na BR 408, próximo à entrada de Muribara, em São Lourenço da Mata.

* Com idade inferior a 12 anos.

**12 anos até 18 anos incompletos.

*** A partir de 60 anos.

****Agentes de segurança incluem policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas – na ativa, na reserva e reformados.

Deixe um Comentário





16 − cinco =