Balanço: 100 dias de 2018

Nos 100 primeiros dias de 2018 foram registrados 2.389 tiroteios/disparos de arma de fogo na região metropolitana do Rio de Janeiro, com ao menos 472 mortos e 409 feridos. Nestas ocasiões foi registrada a presença de agentes públicos de segurança* 339 vezes.

No mesmo período de 2017 foram registrados 1311 tiroteios/disparos de arma na RM do Rio. O maior aumento registrado se deu em Belford Roxo (490%), onde há disputa por controle de área entre Castelar e Morro da Palmeira.

O Município do Rio de Janeiro teve o maior número de registros (1443), seguido de São Gonçalo (242), Belford Roxo (177), Niterói (138) e Nova Iguaçu (107)

**Presença de Agentes: Situações em que são percebidas a presença de agentes de segurança durante o tiroteio/disparo. Exemplo: Operação, Ação, Assalto a agentes etc

Dados: Fogo Cruzado – é um Data lab, laboratório de dados sobre violência armada, que disponibiliza informações através de um aplicativo e mapa colaborativo.

Nos 100 primeiros dias de 2018 foram registrados 510 tiroteios/disparos de arma de fogo na Baixada Fluminense, com ao menos 131 mortos e 82 feridos. Nestas ocasiões foi registrada a presença de agentes públicos de segurança* 72 vezes. Piam foi o bairro “campeão”, com 24 registros.

Nos 100 primeiros dias de 2018 foram registrados 1443 tiroteios/disparos de arma de fogo na cidade do Rio de Janeiro, com ao menos 200 mortos e 246 feridos. Nestas ocasiões foi registrada a presença de agentes públicos de segurança* 196 vezes. Praça Seca, na zona oeste, foi a “campeã” de tiros: 105.

Nos 100 primeiros dias de 2018 foram registrados 2.389 tiroteios/disparos de arma de fogo na região metropolitana do Rio de Janeiro, com ao menos 472 mortos e 409 feridos. Dentre todos os bairros da região metropolitana, a Praça Seca foi a “campeã” em tiros: 105.

Nos 100 primeiros dias de 2018 foram registrados 242 tiroteios/disparos de arma de fogo em São Gonçalo, com ao menos 95 mortos e 52 feridos. Nestas ocasiões foi registrada a presença de agentes públicos de segurança* 47 vezes. O Jardim Catarina foi o bairro que mais registrou tiros nesse período: 24.

Nos 100 primeiros dias de 2018 foram registrados 2.389 tiroteios/disparos de arma de fogo na região metropolitana do Rio de Janeiro, com ao menos 472 mortos e 409 feridos. 1037 ocorreram nos primeiros 47 dias do ano, antes da Intervenção; e 1352, depois (53 dias)

Nos 100 primeiros dias de 2018 foram registrados 606 tiroteios/disparos de arma de fogo em áreas com UPP, com ao menos 68 mortos e 82 feridos. Nestas ocasiões foi registrada a presença de agentes públicos de segurança* 101 vezes. A Cidade de Deus foi a “campeã” em tiros: 96, seguida do Complexo do Alemão (64) e Vila Kennedy (63).

Nos 100 primeiros dias de 2018, 36 agentes públicos de segurança* foram mortos a tiros na região metropolitana do Rio de Janeiro. Outros 65 foram feridos.

Nos 100 primeiros dias de 2018 foram registrados 21 ocasiões em que o tiroteio/disparos de arma de foto terminaram com 3 vítimas civis ou mais, num total de 86 mortos. Em todo o ano de 2017 foram registrados 56 ocorrências como esta, com um total de 219 mortos.

Deixe um Comentário





sete + 10 =

Copy link
Powered by Social Snap