Foram 72 agentes baleados, sendo 32 mortos neste período

Por: Carlos Nhanga e Mayara Mangifeste

Nos primeiros 6 meses de 2020, a plataforma Fogo Cruzado registrou 72 agentes de seguranças baleados na Região Metropolitana do Rio – 32 deles morreram e 40 ficaram feridos. O número de baleados representa queda de 43% em relação ao primeiro semestre de 2019, quando 126 agentes foram baleados: 30 morreram e 96 ficaram feridos. 

Entre os agentes de segurança baleados (72) durante esse semestre, a maioria era policial militar. Eles representam 76% (55) do total de agentes baleados no período – 23 deles morreram. Nesta categoria são contabilizados policiais militares, civis, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas, na ativa, na reserva e aposentados. 

Do total de agentes mortos (32), apenas 9 (28%) estavam em horário de trabalho. Já entre os feridos (40), a maioria (24), ou 60% – foi atingida por arma de fogo em serviço.

Entre os 5 municípios onde houve mais baleados, o Rio liderou o ranking, com 44 agentes. Em seguida ficaram São Gonçalo (10), Duque de Caxias, Belford Roxo e São João de Meriti (3 cada).

Em relação às regiões do Grande Rio, a Zona Norte foi a que mais apareceu nos registros com agentes baleados nesse período – com 22 agentes – seguida da Zona Oeste (17), Leste Metropolitano (16), Baixada Fluminense (12), Centro (3) e Zona Sul (2). Entre os bairros da Zona Norte, região com mais vítimas, Manguinhos liderou ranking com 4 baleados.

Em 13 de fevereiro, um agente da Polícia Federal foi morto a tiros na favela do Rola, em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, quando foi fazer uma intimação no local, acompanhado de outro policial, que conseguiu fugir e se esconder. Ronaldo Heeren foi encontrado morto, por policiais militares, dentro de uma viatura da PF descaracterizada, que estava com várias marcas de tiros. O outro agente, identificado como Plínio, foi localizado pelos PMs em estado de choque.

Após a morte do policial federal, a viatura em que ele estava foi pichada com as iniciais da facção Comando Vermelho (CV). No entanto, A favela do Rola, onde ele foi morto, é dominada pela milícia desde 2018.

Viatura em que policial federal foi morto foi pichada. Foto: Reprodução

Deixe um Comentário





treze − 9 =