Morte de agentes de segurança cai pela metade em 2019

Número de agentes feridos também caiu

No primeiro semestre de 2019, a plataforma Fogo Cruzado mapeou 127 agentes de segurança baleados na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, destes 30 morreram. O número de agentes mortos caiu 52% em relação ao mesmo período de 2018, quando  62 agentes foram mortos. 

Além das vítimas fatais, houve 97 baleados em seis meses, o que representa uma queda de 14% em comparação com 2018, quando houve 113 feridos. A categoria “agentes de segurança” abrange policiais militares, policiais civis, guardas municipais, policiais federais, militares das forças armadas etc – em serviço, fora de serviço, na reserva e aposentados. 

Os municípios que tiveram mais registros de agentes de segurança baleados no primeiro semestre de 2019 foram: Rio de Janeiro (60), São Gonçalo (19), Niterói (14), Nova Iguaçu (7) e Itaboraí (5). 

Dos 71 agentes baleados fora de serviço, 39 ocorreram durante roubos ou tentativas de assalto, terminando com  11 agentes mortos e 28 feridos. Dos 48 agentes baleados em serviço, 44 foram durante operações ou ações policiais, que resultaram em 5 agentes mortos e 39 feridos.

Dentre os motivos apontados como razão dos tiros que vitimaram agentes de segurança,  destaca-se “roubo/tentativa” com 42 casos (11 mortos e 31 feridos) e “ação/operação policial”: 46 situações com 6 agentes mortos e 40 feridos. 

Houve ainda uma redução de 31% no número de agentes de segurança baleados em serviço no primeiro semestre de 2019 (5 mortos e 48 feridos) em relação ao mesmo período de 2018 (14 mortos e 63 feridos). Em ambos os períodos os policiais militares representaram o maior percentual de vítimas fatais: 96% em 2019, contra 84% em 2018. 

Deixe um Comentário





treze − um =