Abril: Grande Rio tem queda de 12% no número de tiros em comparação ao ano anterior

Em relação a março, redução foi ainda maior: 14%. No acumulado do ano houve queda de 3% entre 2019 e 2018


No mês de abril, o Laboratório de Dados sobre violência armada Fogo Cruzado registrou 681 tiroteios/disparos com arma de fogo na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Houve uma queda de 12% em relação ao mesmo período do ano passado, quando houve  771 registros. No total, 193 pessoas foram baleadas – destas, 91 morreram. No ano passado, neste mesmo período houve 220 pessoas baleadas, das quais, 126 morreram.

A Zona Norte da capital registrou o maior número de tiroteios/disparos este mês (231) – 34% de todos os casos do Grande Rio este mês. A Baixada Fluminense, no entanto, registrou o maior número de mortos (33)36% do total.

Alguns detalhes sobre a violência armada no Grande Rio em abril:

  • Em abril, 13 pessoas foram vítimas de bala perdida no Grande Rio -destas, 2 morreram. No mesmo período do ano passado foram 18 vítimas – nenhuma morreu. Entre os feridos está uma mulher grávida de 8 meses, baleada durante um chá de bebê no Terra Nostra, em Costa Barros. Ela e seu bebê foram atingidos no dia 6 de abril, mas sobreviveram.
  • Este mês, 4 crianças (até 12 anos incompletos), 6 adolescentes e 2 idosos foram baleados no Grande Rio – destes, 1 criança, 3 adolescentes e 1 idoso morreram. Entre os feridos, uma idosa de 79 anos foi atingida por uma bala perdida durante perseguição policial em Niterói, no dia 11 de abril.
  • O município do Rio contabilizou 421 tiroteios/disparos de arma de fogo 62% de todos os registros do Grande Rio. No mesmo período do ano passado, houve 454 registros na capital – uma queda de 7% este ano.
  • Em abril, houve 681 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Rio. Em comparação com março, houve uma queda de 14%. O município de São Gonçalo, no entanto, teve um aumento de 17% nos registros de disparo de arma de fogo entre março e abril.
  • A Praça Seca continua sendo o bairro da região metropolitana com o maior número de tiroteios/disparos de arma de fogo no Grande Rio: 33 casos no total. Em seguida vem Vila Kennedy (28), Madureira (25), Complexo do Alemão (22) e Tijuca (15).
  • O Complexo do Alemão se mantém no topo do ranking de áreas de UPPs com mais registros de tiros. Foram 22 casos, seguido do Complexo da Penha (13), Complexo de Manguinhos (11), Macacos (9), Borel (7) e Formiga (7).
  • A Zona Norte do Rio representou 34% dos tiros registrados no Grande Rio este mês: 231. Na Zona Oeste, segunda colocada, houve 139 casos. Somadas, as duas regiões representam 54% do número total de tiros no Grande Rio.
  • Na Baixada Fluminense houve o maior número de mortos por disparos de arma de fogo mapeados (33) – 36% do total. A região do Leste Metropolitano ficou em segundo lugar com 26% dos casos (24).
  • Houve uma queda no número de agentes de segurança baleados no Grande Rio este mês, foram 18 casos, destes, 4 morreram – todas as vítimas fatais estavam fora de serviço. No mesmo período do ano passado, foram 25 agentes baleados – 7 morreram, destes, 6 estavam fora de serviço – Uma redução de 28% no número de agentes baleados.
  • Foram registrados 5 casos com 3 ou mais civis mortos numa mesma situação no Grande Rio este mês – no total, 17 pessoas morreram. Em todos os casos foi registrada a presença de agentes de seguranças. Em abril de 2018 foram 7 casos, apenas 2 envolvendo a presença de agentes de segurança, que resultaram em 27 mortos.


Deixe um Comentário





dois + dezenove =