2018: 342 tiroteios/disparos de arma no Grande Rio foram próximos à escolas

Colégio Estadual Compositor Luiz Carlos da Vila, em Manguinhos, na Zona Norte, atingido por tiros durante ação policial em 01/08/2018  Foto: Reprodução/Redes Sociais

Em 2018, houve 342 tiroteios/disparos de arma de fogo no perímetro de 100 metros de escolas e creches – públicas e privadas – da região metropolitana do Rio – um aumento de 229% em relação à 2017, quando houve 104 registros.

A cidade do Rio concentrou 305 tiros deste total (342) e ao menos 170 instituições de ensino públicas da região foram afetadas em 2018, um aumento de 204% em relação a 2017, quando 56 escolas prejudicadas. Ao todo, 4 pessoas foram baleadas dentro de escolas em 2018 – 1 delas morreu.

Em 2018 houve houve 5.713 tiroteios/disparos de arma de fogo só na cidade do Rio – 44% a mais em relação à 2017. Deste total, 305 ocorreram em horário escolar (07 às 17h) no perímetro de 100 metros de escolas e creches – um aumento de 255% em relação à 2017, quando houve 86 registros.

Áreas mais afetadas

Menino atingido de raspão dentro de escola na Penha, no Rio — Foto: Reprodução/TV Globo

As escolas mais afetadas por tiroteios/disparos de arma de fogo estão localizadas na zona norte da capital fluminense (62%), região onde Maria Gabriela Sathler, de 11 anos, foi atingida por bala perdida dentro da unidade escolar, em 25/04. Aluna da Escola Municipal Espírito Santo, no bairro Cavalcante, na Zona Norte, Maria Gabriela, foi ferida no braço enquanto se preparava para a aula de Educação Física.

Também foi na zona norte do Rio que morreu o professor Eduardo Pichinine Branco, de 26 anos, após ser atingido por uma bala perdida no dia 06/01 dentro da Escola Municipal Doutor Mario Augusto, localizada no bairro do Engenho Novo. 

A vítima mais nova atingida por bala perdida dentro de uma escola foi um bebê de 6 meses. O caso aconteceu enquanto a mãe aguardava o outro filho, de 6 anos, terminar uma atividade na quadra da escola, no Cosme Velho – em maio. O bebê foi atingido no colo da mãe e precisou passar por uma cirurgia para retirar a  bala que ficou alojada no ombro.

Meses depois, em outubro, um menino de 11 anos foi baleado de raspão próximo ao pescoço, dentro da sala de aula, na Escola Municipal Ariosto Espinheira, na Praça Caí, Penha, também na Zona Norte.

 

Ranking de escolas mais prejudicadas

No ranking de escolas mais prejudicadas por tiroteios/disparos de arma de fogo este ano estão:

    1. Escola Municipal Alberto Rangel (31)
    2. Escola Municipal Francisco de Paula Brito (14)
    3. CE Ricarda Leon (12)
    4. Escola Municipal Almirante Tamandaré (11)
    5. CE Almirante Tamandaré (11)
    6. Creche Municipal Vidigal (10)

Listas de áreas e escolas mais afetadas

Bairros da cidade do Rio com o maior número de escolas afetadas pela violência armada:

Bairros da cidade do Rio com o maior número de tiros no entorno de escolas afetadas:

Mapa da região metropolitana do Rio com número de tiros no entorno (até 100m) de escolas e creches públicas e privadas (2018):

Mapa da região metropolitana do Rio com número de tiros no entorno (até 100m) de escolas e creches públicas e privadas (2017):

Clique aqui e acesse o relatório com dados completos do ano de 2018.

Deixe um Comentário





seis + dezessete =