Houve um aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado

Dia 1º de outubro é dia do idoso – e não há muito o que comemorar: este ano, 15 idosos* foram baleados na região metropolitana do Recife – destes, 11 morreram. O número representa um aumento de 25% em relação a 2019, quando houve 9 vítimas nesta faixa etária. A data marca o dia em que a Estatuto do Idoso entrou em vigor, estabelecendo metas para a proteção a esse público. No entanto, ao falarmos em violência armada, tal proteção não se concretizou.

Os dados também mostram que, mesmo durante a quarentena devido ao novo coronavírus, idosos continuaram expostos à violência armada. Isto porque, mesmo no período de isolamento social, 10 idosos foram baleados. Dentre os casos, o de Maria José da Silva, de 79 anos, baleada em sua residência no Pina, Recife. Maria José foi socorrida ao Hospital da Restauração. 

Dos 14 idosos baleados em 2020, 3 foram mortos durante ações policiais**. Agrinaldo Silvestre Dantas, de 70 anos, foi baleado durante uma perseguição policial após ser sequestrado na Rua Arco-íris, no Engenho Manassu, Jaboatão dos Guararapes. Ele foi socorrido e não sobreviveu.

Outros 3 idosos foram feridos dentro de casa e 2 foram atingidos por bala perdida. Este último, Reinaldo Vieira de Barros, de 70 anos, foi baleado durante uma execução quando passeava com seu cachorro na Rua São Geraldo, em Artur Lundgren I, Paulista. Na ocasião, um homem de 26 anos morreu e outra pessoa não identificada foi baleada. Reinaldo e a vítima não identificada foram socorridos. 

Já em relação a geografia da violência armada contra idosos, o município que se destaca é Recife, que concentrou 6 idosos baleados; seguido de Olinda e Jaboatão dos Guararapes, ambos com 3 baleados cada; e Paulista (2) e Moreno (1).

*O Estatuto do Idoso considera idosos com idade igual ou superior a 60 anos.

** Ações policiais de rotina, não planejadas.

Deixe um Comentário





três × 4 =