Mortes nestas circunstâncias aumentaram 172%

Em outubro, a plataforma Fogo Cruzado registrou 420 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Número é 12% menor que o registrado no mesmo período de 2019, quando houve 475 tiros. Outubro também houve queda de 20% no número de tiroteios com a participação de agentes de segurança pública*. Foram 126 em outubro deste ano e 158 no mesmo período de 2019.

Ao todo, 211 pessoas foram baleadas no Grande Rio em outubro (124 mortas e 87 feridas) – 6% a mais que no mesmo período de 2019, quando houve 200 vítimas (94 mortas e 106 feridas). Houve aumento de 32% no número de mortos e queda de 18% na quantidade de feridos.

Casos com múltiplas mortes voltam a crescer

Além disso, houve um aumento de 83% no número de casos com 3 ou mais civis mortos em uma mesma situação no Grande Rio (como chacinas** e operações policiais). Foram 11 casos em outubro e 6 casos em outubro do ano passado. Houve presença de agentes de segurança em 10 casos. As mortes nestas circunstâncias também aumentaram: foram 49 mortes outubro deste ano e 18 no mesmo período do ano anterior. 

A exemplo destes casos está a operação integrada entre Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal em Itaguaí, na Baixada Fluminense, que terminou com 12 mortos, no dia 15. Entre as vítimas estava um ex-policial militar. Este foi o terceiro maior caso com 3 ou mais vítimas registrado pelo Fogo Cruzado desde sua criação, em 2016. No dia 15 de maio, uma operação policial no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, terminou com 13 mortos. No ano anterior, em 8 de fevereiro, um intenso tiroteio durante operação policial deixou 13 mortos no Fallet-Fogueteiro, em Santa Teresa, no Centro do Rio. 

Veja mais alguns detalhes sobre a violência armada no Grande Rio em outubro:

  • Com 233 tiroteios/disparos de arma de fogo, o município do Rio de Janeiro concentrou 56% do total acumulado no Grande Rio em outubro (421). Em segundo lugar, com 53 registros, São Gonçalo seguiu na sequência entre os municípios com mais tiroteios. Em seguida ficaram Duque de Caxias (38), Niterói (24) e Belford Roxo (18).
  • Comparado a setembro, quando houve 315 tiroteios disparos de arma de fogo, o número de tiroteios registrados aumentou 33%. Também houve aumento de 182% na quantidade de mortos e de 26% no número de feridos. Foram 124 mortos e 87 feridos em outubro e 44 mortos e 69 feridos em setembro.
  • 20 de outubro foi o dia com mais tiroteios/disparos de arma e fogo no Grande Rio em outubro: 22. Já o dia 15 teve o maior número de mortos (22) e o dia 16, o maior número de feridos (8).
  • A Tijuca, na Zona Norte do Rio, foi o bairro do Grande Rio com mais tiroteios em outubro, foram 18. Em seguida, ficaram Vila Kennedy (17), Santa Teresa (14), Jardim Olavo Bilac, em Duque de Caxias (14), e Penha (11).
  • Em outubro, 74 tiroteios/disparos de arma de fogo ocorreram em áreas com Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Borel (13), Complexo da Penha (12), Prazeres (10), Complexo do Alemão (9) e Andaraí (6) foram as áreas com mais registros.
  • Em primeiro lugar, a Zona Norte, com 145 registros, foi a região do Grande Rio com mais tiroteios/disparos de arma de fogo em outubro. Sozinha, ela concentrou 35% do total acumulado na região metropolitana em outubro (420). Logo depois, vieram a Baixada Fluminense (104), Leste Metropolitano*** (83), Zona Oeste (57), Centro (27) e Zona Sul (4). A Baixada Fluminense, em segundo lugar entre as regiões com mais tiroteios, teve o maior número de baleados (71: sendo 45 mortos e 26 feridos).
  • 9 agentes de segurança**** foram baleados no Grande Rio em outubro: 4 morreram (3 estavam fora de serviço). Entre os 5 feridos, 4 estavam em serviço. Por outro lado, número de agentes baleados em outubro é 40% menor que o registrado no mesmo período de 2019, quando 15 foram baleados (sendo 7 mortos). Entre os baleados naquele período, 3 foram mortos e 6 ficaram feridos quando estavam em serviço.
  • Houve queda de 28% no número de vítimas de bala perdida***** no Grande Rio em outubro. Ao todo, 13 pessoas foram atingidas: 4 delas morreram. No entanto, no mesmo período do ano passado, houve 18 vítimas: 5 morreram. Apesar da queda, em outubro a Região Metropolitana do Rio atingiu a marca de 100 vítimas de bala perdida. Até o fim de outubro havia 120 vítimas acumuladas no ano. Entre os atingidos em outubro está Maiara Oliveira da Silva, de 20 anos, grávida de 5 meses. Maiara foi atingida por uma bala perdida durante operação policial no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, no dia 27. A vítima segue internada em estado grave, mas o bebê não resistiu e morreu.
  • Em outubro, 5 adolescentes (entre 12 anos e 17 anos) e 2 idosos (com idade a partir de 60 anos) foram baleados no Grande Rio. Destes, 2 adolescentes e 2 idosos morreram. Entre as vítimas estava Leônidas Augusto de Oliveira, de 12 anos, morto por uma bala perdida na cabeça no dia 9. O adolescente foi atingido quando ia com a avó ao supermercado em uma das entradas da favela Nova Holanda, no Complexo da Maré. Além de Leônidas, Neylaine Vieira Martins, de 31 anos, também foi baleada, mas sobreviveu. Segundo informações, ocupantes de um veículo que passaram atirando contra uma viatura da PM na região. No mesmo período de 2019, 2 crianças (com idade inferior a 12 anos), 9 adolescentes e 1 idoso foram baleados. Destes, 1 adolescente e 1 idoso morreram. 
  • No acumulado do ano – de janeiro até outubro –, houve 3.981 tiroteios/disparos de arma de fogo no Grande Rio. Ao todo, 1.562 pessoas baleadas (789 mortas e 773 feridas). No mesmo período de 2019, houve 6.539 tiroteios/disparos, com 2.526 baleados no total – 1.325 mortos e 1.201 feridos –. Este ano teve queda de 39% nos tiroteios, de 40% no número de mortos e de 36% na quantidade de feridos.

* Presença de agentes: Situações em que são percebidas a presença de agentes de segurança durante o tiroteio/disparo. Exemplo: Operação, Ação, Assalto a agentes etc.

**Eventos onde há 3 ou mais mortos civis em uma mesma situação – mesmo que o motivo dos disparos seja outro, como: assalto, ataque, operação etc.

*** Leste Metropolitano: região que concentra os municípios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Rio Bonito, Cachoeira de Macacu e Tanguá.

**** Agentes de segurança incluem policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas – na ativa, na reserva e reformados.

***** “Vítima de bala perdida”: a pessoa que não tinha nenhuma participação ou influência sobre o evento no qual houve disparo de arma de fogo, sendo, no entanto, atingida por projétil (ISP).

Deixe um Comentário





dezenove − dois =