Houve, no entanto, diminuição de 5% no número de tiroteios neste período

No mês de outubro, a plataforma Fogo Cruzado registrou 121 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Recife (RMR), 5% menos que no mesmo período de 2019, quando houve 128 registros. Foi a primeira vez este ano que o número de tiroteios registrados em um mês ficou abaixo do contabilizado no mesmo mês do ano anterior.

Também houve queda no número de pessoas baleadas em outubro em comparação ao mesmo mês em 2019: neste ano, foram 106 mortos e 42 feridos – ano passado, foram 106 e 44, uma diminuição de 1% no total de baleados.

Por outro lado, chama atenção o número de homicídios múltiplos. Houve 11 casos em outubro deste ano, um aumento de 83% em relação ao mesmo período de 2019, quando houve 6 casos. Nestas circunstâncias, 25 pessoas foram mortas – 22 homens e 3 mulheres. Em 2019, houve 13 mortos – 11 homens e 2 mulheres. 

A exemplo disso, no dia 23, 3 pessoas foram mortas com mais de 40 disparos, em Enseada dos Corais, no Cabo de Santo Agostinho. Duas vítimas morreram no local e a terceira chegou a ser socorrida, mas não resistiu. As identidades e idades das vítimas não foram divulgadas.

Veja mais alguns detalhes sobre a violência armada no Grande Recife em outubro:

  • No referido mês, o dia 11, com 10 registros, foi o dia com mais tiroteios. Já o dia 25, com 11 vítimas, foi o dia com mais mortos; e a data com mais feridos foi também o dia 11, com 6 vítimas. 
  • Recife, com 53 registros, liderou o ranking de municípios com mais tiroteios/disparos de arma de fogo da RMR, seguido de Jaboatão dos Guararapes (19), Cabo de Santo Agostinho (14), Paulista (7) e Ilha de Itamaracá (6).
  • No ranking dos bairros mais afetados pela violência armada em outubro, estão Várzea, com 5 registros, seguida de Cohab e Jardim São Paulo, com 4 registros cada, todos em Recife. Em seguida vêm Candeias e Cavaleiro, em Jaboatão dos Guararapes,, com 3 registros cada.
  • Do total de mortos no Grande Recife em outubro (106), 98 eram homens e 8 mulheres. Entre os feridos (42), 37 eram homens e 5 mulheres.
  • 3 adolescentes (com idade entre 12 anos e 18 anos incompletos) e 2 idosos (a partir de 60 anos) foram baleados em outubro de 2020. Destes, 2 adolescentes morreram. Em comparação com o mesmo período de 2019, quando houve 14 adolescentes baleados, outubro de 2020 teve uma diminuição de 79% no número de baleados. Entre as vítimas deste ano, está um adolescente de 17 anos, que não foi identificado, e seu irmão maior de idade, Luiz Henrique Melo, de 19 anos. Ambos foram arrastados de casa, no Barro, Recife, e baleados no dia 21. O adolescente sobreviveu, mas seu irmão, Luiz, morreu no local. 
  • 25 pessoas foram baleadas dentro de residências em outubro: destas, 23 morreram e 2 ficaram feridas. Comparado ao mesmo período de 2019, com 11 baleados – todos mortos -, houve aumento de 127%. Luiz Henrique da Silva, de 29 anos, e Fernanda Cabral da Silva, de 29, são exemplos do problema. Eles foram mortos a tiros na frente dos filhos, dentro de casa, na Rua Xaréu, Maria Farinha, em Paulista, no dia 21. 
  • Em outubro, 1 pessoa foi morta dentro de presídio. O detento, que não foi identificado, foi baleado na Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá no dia 21. 
  • 10 pessoas foram baleadas em bares no mês de outubro – 8 morreram e 2 foram feridas. Dentre as vítimas, estão Antônio José Castro da Silva, de 49 anos, Ronaldo Gomes, de 48 anos e Elisomar José da Silva, de 46, mortos a tiros em um bar na Rua Seis, em Malaquias, no Cabo de Santo Agostinho.
  • 1 agente de segurança* foi morto a tiros em outubro. O PM Luiz Henrique Melo, de 27 anos foi baleado durante uma operação policial no Gaibu, Cabo de Santo Agostinho, no dia 21. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Além do policial, uma pessoa não identificada também morreu.
  • 7 pessoas foram vítimas de bala perdida em outubro de 2020 – 1 morreu e 6 ficaram feridas. Dentre as vítimas está José Marques Nóbrega, de 41 anos, foi atingido por uma bala perdida enquanto pescava no bairro da Muribara, em São Lourenço da Mata, no dia 13.
  • Do total de registros em outubro (121), em 76% (92) houve mortos, em 30% (36) houve feridos e em 3% (4) não houve vítimas.
  • No acumulado do ano – de janeiro até outubro -, o Fogo Cruzado registrou 1.439 tiroteios/disparos de arma de fogo no Grande Recife. Ao todo 1.604 pessoas foram baleadas: sendo 986 mortas e 618 feridas. Em comparação com o mesmo período de 2019, quando houve 1106 tiroteios, este ano teve um aumento de 30% no número de tiroteios, 20% no número de mortos e 67% no número de feridos.

*Utilizado apenas para agentes de segurança do Estado (PM, PC, PF, PRF, FFAA, Guardas Municipais, Bombeiros e Agentes Penitenciários) – em serviço, fora de serviço, aposentados e exonerados.

Deixe um Comentário





16 − 2 =