Relatório - Fogo Cruzado - Janeiro 2017

Notificações - Fogo Cruzado - Janeiro 2017

Imprensa e PMERJ - Fogo Cruzado - Janeiro 2017

Regiões - Fogo Cruzado - Janeiro 2017

Downloads - Fogo Cruzado - Janeiro 2017

Violência Armada

São Gonçalo, Penha e Cidade de Deus têm início de ano violento. Houve ao menos 40 registros de tiroteios/disparos em 16 favelas com UPP.

Aplicativo Fogo Cruzado já registra mais de 2600 notificações desde seu lançamento, em julho de 2016.

Rio de Janeiro, 2 de fevereiro de 2017

Em funcionamento há sete meses, o aplicativo e mapa colaborativo Fogo Cruzado já publicou mais de 2600 notificações de tiroteios e/ou disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O Fogo Cruzado divulga hoje seu sexto balanço mensal, com a consolidação das informações recebidas ao longo do último mês (registradas de 00:00h de 01 de janeiro a 24:59 de 31 de janeiro).

Áreas com maior incidência de tiroteios/disparos de arma de fogo

Avaliando os registros totais do mês, a região de São Gonçalo foi especialmente atingida pela violência armada, figurando como a localidade com mais registros de tiroteios/disparos de arma de fogo no período: 30, com ao menos 12 vítimas fatais (1 deles, policial) e 16 feridos. No balanço de 6 meses de operação do aplicativo, o município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro foi a 5º região com mais registros de tiroteios/disparos de arma de fogo: 81, com pelo menos 17 mortos e 31 feridos.

No dia 15 deste mês, duas pessoas foram mortas no Complexo do Salgueiro. No dia 19, 3 pessoas ficaram feridas, dentre elas um PM, após o policial reagir a uma tentativa de assalto na região do Pita. No mesmo dia, em uma briga em Porto Novo, um PM baleou a esposa e o enteado.

A segunda localidade a registrar o maior número de tiroteios/disparos de arma de fogo foi a Penha, que já havia sido destaque do relatório do mês de dezembro, com 13 notificações. O bairro foi o que mais apresentou tiroteios em dezembro. Em janeiro foram ao menos 2 feridos, dentre eles 1 PM. No dia 11, 3 PMs ficaram feridos devido a explosão de uma granada e um deles ainda chegou a ser baleado durante tiroteio na Vila Cruzeiro, Complexo da Penha. No dia seguinte, houve operação no local e moradores relataram intenso tiroteio.

A Cidade de Deus registrou o mesmo número de tiroteios/disparos de arma de fogo que a região da Penha: 13 notificações. Foram ao menos 2 vítimas fatais e 3 feridos. Somente no dia 28, duas pessoas foram mortas na região: uma mulher durante um assalto a um veículo e um homem durante tiroteio na Travessa Maressa.

Apesar de não figurar entre as áreas com maior número de registros de tiroteios/disparos de arma (7), Campo Grande, na zona oeste, teve ao menos 7 vítimas fatais e 17 feridos. Somente no dia 22, um tiroteio na favela da Carobinha deixou ao menos 16 pessoas feridas, dentre elas um PM, e 3 pessoas mortas.

Neste mês, houve grande incidência de tiroteios/disparos de arma de fogo em regiões com UPPs. De acordo com informações da imprensa e PMERJ, ao menos 16 regiões com Unidade de Polícia Pacificadora estiveram sob tiros no mínimo 40 vezes.

As 16 favelas com UPP que registraram tiroteios/disparos de arma de fogo no mês de janeiro foram: Alemão, Batan, Cidade de Deus, COmplexo do Lins, Fallet/Fogueteiro, Jacarezinho, Mangueira, Manguinhos, Turano, Tabajaras, Pavão Pavãozinho, Prazeres, Providência, São Carlos, Complexo da Penha e Vila Kennedy

Nestas áreas, ao menos 13 pessoas morreram, dentre elas 3 policiais militares, e 16 pessoas ficaram feridas, sendo 6 policiais militares.

Em dezembro foram 34 tiroteios/disparos em 21 favelas com UPP. Nestas áreas, ao menos 14 pessoas morreram, dentre elas 2 policiais militares, e 32 pessoas ficaram feridas, sendo 7 policiais militares.

Tiroteios em assaltos

Chamou atenção o alto número de assaltos/tentativas de assaltos a joalherias/shoppings que terminaram em tiroteios. Foram quatro: Tijuca OFF Shopping – 1 PM morto e 2 pessoas feridas; Botafogo Praia Shopping; Shopping Ilha Plaza – 1 pessoa ferida; e Shopping Jardim Guadalupe – 1 PM morto; os dois últimos, no mesmo dia.

Totais

No total, foram registradas 303 notificações no mapa colaborativo no mês de janeiro, apontando ao menos 109 vítimas fatais e 130 feridos. Todas as notificações enviadas por usuários são moderadas antes da postagem em www.fogocruzado.org.br. Desde a disponibilização do app até hoje, (05.07 a 30.01) foram registradas 2653 notificações no mapa colaborativo.

Além das notificações compartilhadas colaborativamente pelos usuários, o balanço mensal inclui ainda dados coletados via imprensa e canais da própria polícia, como os boletins diários publicados no site da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ). Mais de 56 mil downloads gratuitos do aplicativo já foram feitos nas plataformas Android e iOS.

As informações via Imprensa e Polícia Militar do Rio de Janeiro – compiladas e inseridas no mapa pela equipe do Fogo Cruzado – representam um total de 170 notificações e indicam 79 vítimas fatais, 105 feridos e 48 operações policiais. Das 79 vítimas fatais apontadas, 58 eram civis e 21 policiais, quase o quádruplo do mês anterior. Em dezembro foram 51 vítimas fatais, 45 eram civis e 6 policiais.

No total, 303 notificações foram enviadas por usuários no mês de janeiro; destas, 42 foram descartadas por serem repetidas, incompletas ou relatarem ocorrências em cidades fora da atual área de cobertura do aplicativo. Em dezembro foram 220 notificações.

Links:

Site: www.fogocruzado.org.br
Twitter: https://twitter.com/fogocruzadoapp
Facebook: https://www.facebook.com/fogocruzadoapp
IOS: https://itunes.apple.com/us/app/fogo-cruzado/id1131097214?ls=1&mt=8
Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.fogocruzado

Informações para a imprensa:
Mariana Oliveira
Assessora de Imprensa / Press Officer
Tel: + 55 21 3174 8627
Cel: + 55 21 9 9730 3617
E-mail: mariana.oliveira@anistia.org.br
Twitter: @AInaRedacao

Download do Relatório Mensal – Fogo Cruzado – Janeiro 2017