Número mais do que dobrou em relação a maio de 2020. Todas as vítimas sobreviveram.

Durante o mês de maio, transitar pela Região Metropolitana do Recife não foi tão seguro. O Instituto Fogo Cruzado registrou aumento de 125% no número de vítimas de bala perdida* no Grande Recife. 

Ao todo, 9 pessoas foram baleadas quando sequer estavam envolvidas em tiroteios – todas sobreviveram. Em maio de 2020, foram 4 vítimas: nenhuma morreu.

Entre as vítimas, Alan Belo da Silva e Alexandre Belo da Silva foram atingidos por bala perdida enquanto assistiam a um jogo no dia 9 de maio, em Nova Descoberta, no Recife. As vítimas foram atingidas após um homem entrar no bar em que estavam e efetuar disparos contra Ademário Pereira de Lima, que não resistiu aos ferimentos e morreu. Os dois homens atingidos por bala perdida sobreviveram.

O mês em dados

Durante o mês de maio, o Instituto Fogo Cruzado mapeou 132 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Recife -em 13 deles houve presença de agentes de segurança**. O número total de tiroteios foi 25% menor que o acumulado no mesmo mês do ano anterior. Já o número de tiroteios com participação de agentes foi 86% maior: houve 157 tiroteios/disparos de arma de fogo, 7 deles com a presença de policiais na cena.

No mês que passou, 155 pessoas foram baleadas no Grande Recife: destas, 106 morreram e 49 ficaram feridas. Número de pessoas baleadas foi 18% menor que o registrado em maio do ano passado, quando houve 190 vítimas, sendo 108 mortas e 82 feridas. Também houve redução de 2% entre os mortos e de 40% entre os feridos.

O dia 2 de maio foi o mais violento do mês. Houve  10 tiroteios/disparos de arma de fogo no Grande Recife em um único dia, deixando 10 mortos e 6 feridos.

Em apenas 7% dos 132 tiroteios ocorridos em maio não houve vítimas. A grande maioria (73%) deixou mortos e um terço deles (29%), feridos. 

Locais mais afetados

Dos 13 municípios da Região Metropolitana do Recife onde houve tiroteios/disparos de arma de fogo em maio, os 5 mais afetados foram:

  • Recife: 50 tiroteios, 36 mortos e 19 feridos
  • Jaboatão dos Guararapes: 17 tiroteios, 14 mortos e 5 feridos
  • Cabo de Santo Agostinho: 17 tiroteios, 11 mortos e 9 feridos
  • Olinda: 11 tiroteios, 11 mortos e 6 feridos
  • Camaragibe: 7 tiroteios, 6 mortos e 2 feridos

Os bairros da Região Metropolitana do Recife mais afetados pela violência armada foram:

  • Várzea, em Recife: 6 tiroteios, 4 mortos e 1 ferido
  • Jordão, em Recife: 5 tiroteios, 4 mortos e 1 ferido
  • Garapu, no Cabo de Santo Agostinho: 4 tiroteios, 4 mortos e 4 feridos
  • Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes: 4 tiroteios e 4 mortos
  • Nova Descoberta, em Recife: 3 tiroteios, 3 mortos e 4 feridos

As vítimas da violência armada

  • Dos 106 mortos na Região Metropolitana do Recife em maio, 94% eram homens (100 vítimas) e 6% eram mulheres (6 vítimas). Entre os 49 feridos, 78% eram homens (38 vítimas) e 22% eram mulheres (11 vítimas) 
  • Em maio, 32 pessoas foram baleadas no Grande Recife quando estavam dentro de casa: 24 morreram (21 homens e 3 mulheres) e 8 ficaram feridas (3 homens e 5 mulheres). No mesmo período de 2020, foram 20 pessoas baleadas em casa: 13 mortas e 7 feridas. O número de baleadas dentro de casa aumentou 60% na comparação com maio de 2020.
  • 1 criança (com idade inferior a 12 anos), 5 adolescentes (com idade entre 12 anos e 18 anos incompletos) e 3 idosos (a partir de 60 anos) foram baleados na Região Metropolitana do Recife em maio: destes, 5 adolescentes e 1 idoso morreram. No mesmo período de 2020, 1 criança, 13 adolescentes e 1 idoso foram baleados: destes, 10 adolescentes morreram.
  • Em maio, houve 7 casos de homicídios múltiplos*** que deixaram 16 mortos no total (14 homens e 2 mulheres). O número de mortos dobrou em comparação com o mesmo período de 2020: foram 4 casos em maio de 2020 que deixaram 8 mortos no total (4 homens e 4 mulheres).
  • Em maio, houve 3 baleados dentro de presídios da Região Metropolitana do Recife: todos morreram. No mesmo período de 2020 não houve vítimas nestes espaços.
  • 6 pessoas foram baleadas quando estavam dentro de bares do Grande Recife: 4 morreram e 2 ficaram feridas. No mesmo período de 2020, 5 pessoas foram baleadas nestes espaços: 3 morreram e 2 ficaram feridas.
  • 2 agentes de segurança**** foram baleados no Grande Recife em maio: todos morreram. No mesmo período de 2020, 1 agente de segurança foi baleado e sobreviveu.

Acumulado do ano

Entre janeiro e maio de 2021, o Instituto Fogo Cruzado mapeou 713 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Recife que deixaram 778 baleados (sendo 527 mortos e 251 feridos). No mesmo período de 2020, houve 731 tiroteios/disparos de arma de fogo que deixaram 790 baleados (sendo 473 mortos e 317 feridos). Na comparação entre os anos, houve redução de 2% no número de tiroteios, aumento de 11% no de mortos e queda de 21% no de feridos.

* “Vítima de bala perdida”: a pessoa que não tinha nenhuma participação ou influência sobre o evento no qual houve disparo de arma de fogo, sendo, no entanto, atingida por projétil (ISP).

** Presença de agentes: Situações em que são percebidas a presença de agentes de segurança durante o tiroteio/disparo. Exemplo: Operação, Ação, Assalto a agentes etc.

*** Homicídios Múltiplos: Eventos onde há 2 ou mais mortos civis em uma mesma situação – mesmo que o motivo dos disparos seja outro, como: assalto, ataque, operação etc (SSP de SP).

**** Agentes de segurança incluem policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas – na ativa, na reserva e reformados.

Deixe um Comentário





15 + 2 =