Mês superou mais da metade do acumulado em 2021 

Em julho deste ano, o Instituto Fogo Cruzado registrou 3 gestantes baleadas na Região Metropolitana do Recife. O número de vítimas já é quase a metade do acumulado desde que o Instituto começou a operar em Pernambuco, em abril de 2018. Ao todo, 8 gestantes foram atingidas em pouco mais de 3 anos – metade não sobreviveu

Somente em 2021 foram 5 vítimas, 3 delas não sobreviveram. Entre as 5 baleadas, 1 foi atingida em abril, 1 em maio e todas as outras em julho. Estas 3 gestantes foram atingidas em um intervalo de 20 dias. A última, Jaciana Ramos da Silva, de 26 anos, estava grávida de 6 meses, quando foi atingida por dois tiros na cabeça no último dia 19 em Passarinho, Recife. Não houve atualização sobre o seu estado de saúde.

Julho em números

Neste mês, o Instituto Fogo Cruzado mapeou 139 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Recife. O número é 18% menor que o registrado em julho de 2020, que teve 169 tiroteios.

Ao todo, neste mês de julho, 149 pessoas foram baleadas, sendo que 90 morreram. Houve queda de 22% na quantidade de mortos e de 21% na de feridos na comparação com o mesmo período do ano anterior, em que, dos 189 baleados no mês, 115 morreram e 74 ficaram feridos.

Em julho último, o dia 18 foi o mais afetado pela violência armada, contabilizando 12 tiroteios/disparos de arma de fogo e também com mais mortos, foram 9 vítimas no total. Já no dia 15, houve mais feridos, com 9 atingidos. Ambos superaram a média de baleados do mês, que foi de 5 por dia.

Dos 139 tiroteios com arma de fogo, em 64% deles (89) foram registradas mortes e em 35% (48) feridos. Somente 5% dos casos (7 notificados) sem vítimas.

Locais afetados

Entre os municípios da Região metropolitana do Recife, os 5 mais atingidos pela violência armada foram:

  • Recife:45 tiroteios, 30 mortos e 17 feridos
  • Jaboatão dos Guararapes: 23 tiroteios: 16 mortos e 10 feridos
  • Olinda: 19 tiroteios, 11 mortos e 14 feridos
  • Cabo de Santo Agostinho: 18 tiroteios: 9 mortos e 9 feridos
  • Camaragibe: 9 tiroteios, 6 mortos e 3 feridos

Entre os bairros, os 5 mais afetados foram:

  • Águas Compridas (Olinda): 7 tiroteios, 5 mortos e 5 feridos
  • Prazeres (Jaboatão dos Guararapes): 6 tiroteios, 3 mortos e 5 feridos
  • Iputinga (Recife): 5 tiroteios e 4 mortos
  • Ponte dos Carvalhos (Cabo de Santo Agostinho): 5 tiroteios, 2 mortos e 2 feridos
  • Barra da Jangada (Jaboatão dos Guararapes): 4 tiroteios, 5 mortos e  1 ferido
  • Fragoso (Olinda): 4 tiroteios, 1 morto e 7 feridos

As vítimas da violência

  • No mês de julho, dos 90 mortos, na Região Metropolitana do Recife, 84 (93%) eram homens e 6 (7%) mulheres. Entre os 59 feridos, 52 (88%) eram homens e 7 (12%) mulheres.
  • No Grande Recife, 16 pessoas foram baleadas dentro de casa: 13 morreram (11 homens e 2 mulheres) e 3 ficaram feridos (todos homens).
  • Houve 1 caso de homicídio múltiplo*, no Grande Recife, deixando 2 mortos no total. Em julho do ano passado, foram 6 casos que resultaram em 12 mortos
  • Na Região Metropolitana, em julho, 1 criança (com idade inferior a 12 anos), 7 adolescentes (com idade entre 12 anos e 18 anos incompletos) e 6 idosos foram baleados. Destes, 1 criança, 4 adolescentes e 4 idosos morreram. No mesmo período de 2020, foram 3 crianças, 6 adolescentes e 3 idosos atingidos, 2 adolescentes e 2 idosos morreram.
  •  Não houve vítimas de balas perdidas** no Grande Recife em julho deste ano. Neste mesmo período de 2020 foram 5 vítimas, mas todas sobreviveram.
  • Também no Grande Recife, em julho, 2 motoristas de aplicativo foram baleados: 1 morreu. No mesmo período do ano passado, 1 motorista de aplicativo foi morto.
  • Ainda na Região Metropolitana do estado, no mês passado, 1 vendedor ambulante foi morto a tiros. No mesmo período de 2020 foram 2 baleados: todos morreram.
  • No Grande Recife, 4 pessoas foram baleadas quando estavam dentro de bares, 3 morreram e 1 ficou ferida. Em julho do ano passado foram 7 baleados nestas circunstâncias: 2 deles morreram.
  • No mês de julho de 2021, 3 agentes de segurança*** foram baleados no Grande Recife, 2 deles morreram. No mesmo período de 2020, não houve agentes de segurança vítimas da violência armada.

Acumulado do ano

Em 2021 – entre janeiro e julho -, houve 978 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Recife. Ao todo, 1.051 pessoas foram baleadas, 742 morreram e 309 ficaram feridas. No mesmo período de 2020 foram 1.037 tiroteios que atingiram 1.120 pessoas (684 morreram e 436 ficaram feridas). Houve queda de 6% no número de tiroteios e de 29% na quantidade de feridos, porém com aumento de 8% no número de mortes.

SOBRE O FOGO CRUZADO

O Instituto Fogo Cruzado possui a única base de dados aberta sobre violência armada na América Latina e disponibiliza 20 indicadores inéditos sobre o tema para monitorar as regiões metropolitanas do Rio e de Recife. O Instituto existe desde 2016 no estado do Rio de Janeiro e desde 2018 no Recife. O Fogo Cruzado utiliza tecnologias abertas e colaborativas e atua para  tornar as cidades mais seguras, promover a transformação social, enfrentar a violência armada e, assim, salvar vidas. 

* Homicídios múltiplos: eventos onde há 2 ou mais mortos civis em uma mesma situação – mesmo que o motivo dos disparos seja outro, como: assalto, ataque, operação etc (SSP de SP).

** “Vítima de bala perdida”: a pessoa que não tinha nenhuma ligação, participação ou influência sobre o evento no qual houve disparo de arma de fogo, sendo, no entanto, atingida por projétil (ISP).

*** Agentes de segurança incluem policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas – na ativa, na reserva e reformados.

Deixe um Comentário





16 + 20 =