No Dia do Idoso, dados do Instituto Fogo Cruzado mostram que Leste Metropolitano é mais letal

Não foi só a pandemia do coronavírus que colocou a vida das pessoas da terceira idade sob risco de morte. No Dia do Idoso, o Instituto Fogo Cruzado divulga dados que apontam que 207 pessoas, com idade acima de 60 anos, foram baleadas na Região Metropolitana do Rio, desde julho de 2016. Uma média de três idosos atingidos por mês nos quase cinco anos de registros do Fogo Cruzado.

Neste ano, 21 idosos foram baleados entre os dias 1º de janeiro e 1º de outubro, sendo que seis deles morreram. O número de vítimas é 25% menor que o notificado no mesmo período de 2020, quando foram 28 atingidos e, desses, 15 mortos.

Os números podem parecer pouco expressivos, mas pesa sobre esse grupo da população uma realidade que segue na contramão do Estatuto do Idoso. Um documento que é um marco na garantia de direitos das pessoas com mais 60 anos, criado em 2003, para garantir melhor qualidade de vida, saúde física e mental.

O isolamento social, em função da pandemia, contribuiu para que a terceira idade, mesmo no próprio lar, passasse a ser vítima de violência doméstica praticada pela própria família. O estudo do Fogo Cruzado mostrou que dos 21 baleados este ano, seis foram atingidos dentro de casa.

Os motivos da violência armada contra os idosos foram muitos. As operações e ações policiais deixaram seis baleados, seguido de roubos e tentativas de roubo (2); tiroteios entre milícias/facções (2) e briga (1). Outros quatro foram atingidos por balas sem justificativa aparente. Ao todo, três morreram em homicídios e execuções, outros três ficaram feridos em tentativas de homicídio. 

O Leste Metropolitano foi a área mais letal para a terceira idade. A região que abrange Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá, Rio Bonito, Cachoeira de Macacu e Tanguá novamente provou ser a de maior risco para os idosos, concentrando 81% dos baleados na Região Metropolitana do Rio de Janeiro este ano, 17 vítimas. As outras quatro foram atingidas na Baixada Fluminense (2), Zona Norte (1) e Zona Oeste (1).

Em 2021, o Leste Metropolitano teve oito de cada 10 idosos baleados no Grande Rio. São Gonçalo acumulou 62% dos baleados do ano (13), sendo mais uma vez o município mais violento para a terceira idade. Em seguida, vieram Maricá (2), Niterói (2), Rio de Janeiro (2), Japeri (1) e Nilópolis (1).

SOBRE O FOGO CRUZADO

O Instituto Fogo Cruzado usa tecnologia para produzir e divulgar dados abertos e colaborativos sobre violência armada, fortalecendo a democracia através da transformação social e da preservação da vida. 

Com metodologia própria e inovadora, o laboratório de dados da Instituição produz mais de 20 indicadores inéditos sobre violência nas regiões metropolitanas do Rio, do Recife e, em breve, em mais cidades brasileiras.

Por meio de um aplicativo de celular, o Fogo Cruzado recebe e disponibiliza informações sobre tiroteios, checadas em tempo real. Elas estão disponíveis no único banco de dados aberto sobre violência armada da América Latina, que pode ser acessado gratuitamente pela API do Instituto.

Deixe um Comentário





5 − 1 =