Instituto Fogo Cruzado registra 69 adolescentes baleados só este ano

Há pouco a celebrar, neste 21 de setembro, Dia do Adolescente, na Região Metropolitana do Recife, já que 362 adolescentes tiveram suas vidas impactadas e em 67% dos casos interrompidas pela violência armada. Estes são dados do  mapeamento feito pelo Instituto Fogo Cruzado desde 1º de abril de 2018, quando passou a atuar em Pernambuco.

Só neste ano, 69 adolescentes foram baleados e, destes, 49 morreram nesta região. Mesmo com o número de atingidos 15% menor que em 2020 entre 1º de janeiro e 21 de setembro, a quantidade de mortes nestes dois anos foi igual. Isso significa que os tiros foram ainda mais fatais em 2021.

Destes 69 adolescentes baleados, segundo o levantamento do Instituto Fogo Cruzado, 98% foram executados e vítimas de homicídios. Apenas 2 destes jovens foram atingidos por bala perdida*. Este resultado mostra que esta faixa etária teve o primeiro contato com a violência de forma brutal, sendo inclusive na maior parte das vezes, o alvo dela.

O representante do Instituto Fogo Cruzado, em Pernambuco, Romero Silva, reafirma a necessidade de um conjunto articulado de ações para garantir direitos fundamentais a crianças e adolescentes. Segundo ele, “a situação é mais grave quando analisamos os dados gerais da Secretaria de Defesa Social, dos crimes violentos letais intencionais contra jovens, foram assassinadas 245 crianças e adolescentes com idade entre 9-11 anos e 236 entre 12-17 anos, a grande maioria pretos e pobres.

Para ele, a data deve ser um convite ao enfrentamento dessa realidade em favor da vida “se faz necessário uma mudança de paradigma, amparada no princípio da proteção integral, com forte atuação em políticas afirmativas que respeitem a individualidade, os direitos, pondo a salvo os adolescentes de qualquer tratamento violento, humilhante, vexatório ou constrangedor”.

O Dia do Adolescente, criado em 1996 para celebrar a fase de transição entre a infância e a idade adulta, é motivo de atenção em Pernambuco. Ele aparece como o pior lugar do Brasil para ser jovem numa pesquisa recente feita pela Rede de Observatórios de Segurança no Estado. O mesmo estudo apontou que esse foi o período de maior contato dos adolescentes com a violência em todas as suas formas, seja a armada ou em forma de abusos, algumas vezes até dentro de casa. 

Para 12 destes jovens, ficar em casa não foi o bastante para se proteger. Eles foram baleados no próprio lar. Uma das vítimas foi uma adolescente de 17 anos, grávida de três meses, encontrada morta com marcas de tiro onde morava com a família, no dia 26 de abril, no bairro de Arthur Lundgren II, Paulista. O principal suspeito, o pai, teria tirado a própria vida em seguida.

Locais com mais vítimas

Entre os municípios com maior número de vítimas em 2021 estão Recife (25), Jaboatão dos Guararapes (13), Olinda (8), Cabo de Santo Agostinho (7) e Paulista (7). Os bairros com mais jovens atingidos foram Ponte dos Carvalhos – Cabo de Santo Agostinho (3), Pina – Recife (3), Prazeres – Jaboatão dos Guararapes (3), Curado IV – Jaboatão dos Guararapes (2) e Janga – Paulista (2).

SOBRE O FOGO CRUZADO

O Instituto Fogo Cruzado usa tecnologia para produzir e divulgar dados abertos e colaborativos sobre violência armada, fortalecendo a democracia através da transformação social e da preservação da vida. 

Com metodologia própria e inovadora, o laboratório de dados da Instituição produz mais de 20 indicadores inéditos sobre violência nas regiões metropolitanas do Rio, do Recife e, em breve, em mais cidades brasileiras.

Por meio de um aplicativo de celular, o Fogo Cruzado recebe e disponibiliza informações sobre tiroteios, checadas em tempo real. Elas estão disponíveis no único banco de dados aberto sobre violência armada da América Latina, que pode ser acessado gratuitamente pela API do Instituto.

**Vítima de bala perdida: a pessoa que não tinha nenhuma participação ou influência sobre o evento no qual houve disparo de arma de fogo, sendo, no entanto, atingida por projétil (ISP).

Deixe um Comentário





3 × 3 =