Houve também um aumento de 14% no número de mulheres baleadas


Nos 5 meses de quarentena, a plataforma Fogo Cruzado registrou 784 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Recife. Totalizando uma média de 5 tiroteios por dia.

Em comparação com o mesmo período de 2019 – quando houve 521 tiroteios – estes 5 meses de isolamento representaram um aumento de 50% nos registros. Durante esses tiroteios, 879 pessoas foram baleadas (525 mortas e 354 feridas), 59% a mais do que as baleadas no ano passado – que teve 553 vítimas (378 mortas e 175 feridas).

Mulheres no fogo cruzado

Neste período, o isolamento social não foi suficiente para evitar que mulheres fossem vítimas da violência armada. Nos 5 meses de quarentena, 57 mulheres foram baleadas no Grande Recife – sendo 25 mortas e 32 feridas. Os dados representam um aumento de 14% no número de mulheres baleadas em comparação com o mesmo período de 2019 (50). Houve ainda 819 homens baleados durante o isolamento, destes, 499 morreram.

Confira alguns destaques sobre a violência armada nesses 5 meses de quarentena nas regiões do Grande Recife:

  • Entre as 879 pessoas baleadas durante a quarentena,  50 eram adolescentes (com idade entre 12 anos e 18 anos incompletos) 6 eram crianças (menores de 12 anos e 6 eram idosos (a partir de 60 anos). Destes, 30 adolescentes, 1 criança e 3 idosos morreram. Entre as vítimas está uma adolescente de 17 anos, morta pelo seu ex-namorado com um tiro no ouvido no dia 4 de agosto, no bairro da Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes.
  • O número de pessoas baleadas dentro de residências ainda preocupa: nesse período, 88 pessoas foram baleadas: 72 foram mortas e 16 ficaram feridas – um aumento de 38% no número de mortas e 45% de feridas em comparação com o mesmo período de 2019, quando 52 foram mortas e 11 feridas quando estavam dentro de casa. Entre as vítimas está Everton da Silva Gomes, de 25 anos, morto a tiros no dia 3 de agosto, na Rua Manoel Paulo dos Santos, em Moreno. Everton estava lavando a moto dentro da casa dos pais, quando foi baleado na cabeça. Ele morreu no local.
  • 4 agentes de segurança* foram baleados no Grande Recife durante a quarentena, destes 1 morreu. No mesmo período de 2019, foram 8 agentes baleados, 3 deles morreram.
  • Houve ainda 3 vendedores ambulantes e 2 motorista de aplicativo baleados no Grande Recife durante a quarentena.
  • 20 pessoas foram baleadas dentro de bares no Grande Recife – 11 morreram e 9 ficaram feridas. Uma das vítimas foi o Douglas Henrique Victor Fernandes, de 24 anos, morto a tiros quando estava em um bar localizado na área central de Paulista, no dia 17 de junho. Douglas estava na companhia de amigos quando dois homens armados se aproximaram numa motocicleta e atiraram.
  • Houve ainda 6 casos com 3 ou mais civis mortos em uma mesma situação, deixando 17 mortos no total. No dia 9 de agosto, uma chacina resultou em 5 pessoas mortas e 12 feridas em Ipojuca.
  • O município do Recife liderou o ranking de tiroteios/disparos de arma de fogo nesses 5 meses de quarentena, com 291 registros, seguido de Jaboatão dos Guararapes (126), Olinda (80) e Cabo de Santo Agostinho (78).
  • No ranking dos bairros mais afetados por tiroteios, Pontes dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho, ocupa o primeiro lugar com 16 tiroteios/disparos, seguido por Muribeca , Jaboatão dos Guararapes, Águas Compridas , Olinda e Coelhos , Recife, todos com 14 tiroteios/disparos.

* Situações em que são percebidas a presença de agentes de segurança durante o tiroteio/disparo. Exemplo: Operação, Ação, Assalto a agentes etc.

Deixe um Comentário





11 + catorze =