Mapeamento do Instituto Fogo Cruzado revela morte de quase 79% das vítimas

Nesta terça-feira (28), a Região Metropolitana do Recife chegou a triste estatística de 200 pessoas baleadas dentro de casa. No início do ano, o Instituto Fogo Cruzado já havia alertado, em seu relatório semestral, a tendência do aumento dos atingidos por balas dentro das residências. O número chama atenção porque em 2020, esta marca foi alcançada quase dois meses depois, somente em 1º de dezembro

Naquele momento, as primeiras medidas de controle da pandemia criaram um ambiente que permitiu o crescimento do número de vítimas dentro de casa. Foi o primeiro ano que o Grande Recife registrou 200 baleados desde que o Instituto Fogo Cruzado opera em Pernambuco, em abril de 2018. Em 2021, no entanto, tem sido ainda mais violento para quem fica em casa. Além de ter chegado a este número em menos tempo, quase 60 dias de antecedência, mas também pela média de 22 baleados por mês

Com este número, o percentual de pessoas atingidas por bala dentro de casa este ano ficou 39% maior que o total registrado em todo o ano de 2019, quando houve 144 vítimas. Até o momento, já são 157 pessoas mortas e 43 feridas em suas residências este ano. O número de mortos é quase 79% do total de baleados. Esses dados demonstram que os tiros tinham um alvo. Seja um acerto de contas, dívidas, brigas, ou mesmo a proximidade entre as vítimas, tudo isso pode ser motivação para esses crimes. 

Um fator que também contribuiu diretamente para este cenário foi a flexibilização do porte de armas. Em 2020, as solicitações para posse e porte de armas em Pernambuco aumentaram oito vezes em comparação a 2018. O resultado é o aumento da violência, tanto nas ruas quanto em casa, prova disso é que oito em cada 10 homicídios foram praticados com arma de fogo. 

Os homens foram os mais atingidos pela violência armada. Ao todo, 166 foram baleados em casa. Outras três vítimas não tiveram o gênero identificado. As mulheres, apesar de serem as menos afetadas, foram 16% do total dos atingidos em casa. Elas tiveram que lidar com outro tipo de violência, a doméstica. Das 31 mulheres atingidas por bala em 2021, cinco foram vítimas de feminicídio ou tentativas de feminicídio. Outras três gestantes foram baleadas dentro de casa.

Estar na terceira idade ou ser menor de idade não foi garantia de proteção. Entre os 200 baleados, 12 eram adolescentes* e seis idosos**. Destes, nove jovens e todos os idosos morreram.

Mapa da violência

Recife concentrou a maior parte das vítimas atingidas dentro de suas casas, ao todo, houve 61 baleados no município. Em seguida, entre os cinco municípios com mais vítimas, estão Jaboatão dos Guararapes (32), Cabo de Santo Agostinho (31), Olinda (18) e Paulista (14).

SOBRE O FOGO CRUZADO

O Instituto Fogo Cruzado usa tecnologia para produzir e divulgar dados abertos e colaborativos sobre violência armada, fortalecendo a democracia através da transformação social e da preservação da vida. 

Com metodologia própria e inovadora, o laboratório de dados da Instituição produz mais de 20 indicadores inéditos sobre violência nas regiões metropolitanas do Rio, do Recife e, em breve, em mais cidades brasileiras.

Por meio de um aplicativo de celular, o Fogo Cruzado recebe e disponibiliza informações sobre tiroteios, checadas em tempo real. Elas estão disponíveis no único banco de dados aberto sobre violência armada da América Latina, que pode ser acessado gratuitamente pela API do Instituto.

— 

*Adolescente: com idade entre 12 anos e 18 anos incompletos (UNICEF)

** Idosos: maiores de 60 anos (Estatuto do Idoso)

Deixe um Comentário





dois + um =