O número é 40% maior do que o registrado em todo o ano de 2019

A Região Metropolitana do Recife bateu mais uma triste marca: 201 pessoas foram baleadas dentro de casa este ano. O número é 40% maior do que o registrado em todo o ano de 2019, quando 144 pessoas foram baleadas — 119 mortas e 25 feridas — nestas circunstâncias. 

No dia 1º de dezembro, Eduardo Domingos da Silva, de 19 anos, foi a 200ª pessoa baleada dentro de casa este ano. Ele foi morto a tiros no quintal de casa na Rua Valmiro Paulo da Silva, na comunidade Suvaco da Cobra, em Barra de Jangada, Jaboatão dos Guararapes. Eduardo chegou a ser socorrido mas não resistiu. 

Além de Eduardo, Ricardo Cristóvão Santos, de 33 anos, foi baleado dentro de casa na Rua Córrego do Euclides, no Alto José Bonifácio, também no dia 1º de dezembro. Ele foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento de Nova Descoberta. Com eles, a Região Metropolitana do Recife já conta agora com 201 baleados dentro de residências este ano.

Dentre os 201 baleados, 162 morreram e 39 ficaram feridos. O perfil das vítimas é majoritariamente masculino: foram 172 homens baleados — 145 mortos e 27 feridos — e 29 mulheres baleadas — 17 mortas e 12 feridas. Em relação à faixa etária, 1 era criança (menor de 12 anos), 5 adolescentes (com idade entre 12 anos e 18 anos incompletos) e 5 idosos (a partir de 60 anos). 

A maioria dos casos registrados pelo Fogo Cruzado diz respeito a homicídios/tentativas de homicídio e execuções (147). Houve ainda casos de briga (4), roubo (3), ação policial (1), ataque a civis (1) e “guerra” – disputa entre grupos criminosos sem a participação de agentes de segurança – (1). 

Entre os casos de maior repercussão está a chacina que ocorreu no dia 15 de março, na Travessa Manoel Bezerra Neves, em Vila Piedade, em Jaboatão dos Guararapes. 5 pessoas foram mortas em um prédio abandonado, duas delas foram identificadas como Robson José Faustino, de 37 anos, e Genival Bernardo Xavier, de 45.

Tiros em casa

O fato de estar dentro de casa não impediu que uma menina de apenas 9 anos fosse baleada após ter a casa invadida e o pai, Anderson Daniel do Nascimento, de 32 anos, ser morto a tiros. Na ocasião estavam presentes também a mãe e uma outra filha do casal, que não ficaram feridas. O caso aconteceu na zona rural de Ipojuca, em 27 de julho. 

As pessoas também foram atingidas em casa por balas perdidas. No dia 20 de março, um tiroteio durante ação policial na comunidade Santa Luzia, no bairro da Torre, terminou com 1 adolescente morto e 2 pessoas feridas. Entre os feridos, um homem de 48 anos, foi atingido em casa. Ele foi socorrido e encaminhado ao hospital. Nenhuma das vítimas foi identificada. No total, 5 pessoas foram vítimas de bala perdida dentro de casa este ano no Grande Recife.

Vale pontuar também que autoridades vêm adotando uma série de medidas de isolamento e distanciamento social desde o dia 21 de março, como forma de minimizar a disseminação do coronavírus. Ficar em casa é a principal delas. Porém, como mostram os dados, as residências não têm sido um lugar seguro quando se trata da violência armada.

Desde o início da quarentena (21 de março) até hoje (2 de dezembro), 163 pessoas foram baleadas dentro de casa: 132 morreram e 31 ficaram feridas. Dentre as vítimas estão Jamerson Pedro Gomes Brandão, de 22 anos, e Daniel Leão da Silva, de 18 anos, mortos a tiros dentro de casa na Avenida Maurício de Nassau, Iputinga, no Recife, no dia 2 de outubro. Eles estavam trabalhando em uma reforma na casa de Jamerson quando foram mortos. 

Feminicídio: o perigo que dorme ao lado

Apesar de representarem 14% das vítimas de tiros dentro de casa, mulheres estão suscetíveis a uma violência bastante específica: o feminicídio. Este ano houve 3 casos que foram registrados dentro de casa. O primeiro ocorreu em Jardim Piedade, Jaboatão dos Guararapes, no dia 13 de maio. Íris Barbosa Guerra, de 41 anos, foi morta pelo marido com um tiro na cabeça. O filho do casal, que presenciou o fato, baleou o pai, José Ademilton de Lima, após briga corporal. José foi socorrido e levado ao hospital local.

Outro caso, também em maio, Rosemilda Maria de Souza, de 45 anos, foi morta com cerca de 15 tiros dentro de casa na Rua do Cruzeiro, na Charnequinha, Cabo de Santo Agostinho. Ela morreu no local. 

Já em novembro, no dia 27, Laudiceia da Silva Oliveira, de 51 anos, foi morta pelo ex-namorado com tiros nas costas e na cabeça dentro de sua casa na Muribeca, Jaboatão dos Guararapes. 

Regiões

Recife concentrou o maior número de pessoas baleadas dentro de residências. Das 55 vítimas baleadas no município, 41 delas morreram. Seguindo o ranking vem Jaboatão dos Guararapes com 37 (32 mortos); Cabo de Santo Agostinho com 31 (26 mortos); Olinda com 12 (8 mortos); São Lourenço com 11 (7 mortos).

Com 8 vítimas da violência armada dentro de casa, Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho, liderou o ranking dos bairros com maior número baleados em residências. Das 8, 7 morreram. Em seguida vem Engenho Velho, em Jaboatão dos Guararapes, com 6 baleados — todos mortos. Também em Jaboatão, Prazeres ocupou o terceiro lugar no ranking com 5 baleados — 4 mortos —, empatado com Torrões, no Recife, que também registrou 5 baleados — 4 mortos —, e Pina, também no Recife, que registrou 1 morto e 4 feridos.

Deixe um Comentário





4 × 4 =